Descrição de chapéu Governo Trump

Defesa de Trump em impeachment terá advogado que declarou apoio a Joe Biden

Defensor afirmou que atuará para impedir um 'perigoso precedente'

Washington | Reuters

O advogado Alan Dershowitz, que ficou conhecido por representar o jogador de futebol americano O. J. Simpson e, mais recentemente, o bilionário Jeffrey Epstein, fará parte de defesa de Donald Trump no processo de impeachment. 

Dershowitz, que também atua como professor na Universidade Harvard, afirmou em junho do ano passado que votaria no democrata Joe Biden —o principal adversário do presidente nas eleições deste ano.

"Sou um grande apoiador de Joe Biden. Eu gosto de Biden. Gosto dele há bastante tempo e poderia apoiá-lo de forma entusiástica", disse num programa da rádio Sirius XM.

O entrevistador, Dan Abrams, pergunta em seguida: "Em vez de [apoiar] Donald Trump?"

"Sim, em vez de Trump", responde Dershowitz.

Além de liderar as pesquisas para ser nomeado candidato pelo Partido Democrata, Biden é um dos personagens centrais do impeachment. 

O ponto-chave da investigação que levou à abertura do processo é uma ligação telefônica entre Trump e o presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, na qual o americano teria pressionado o líder estrangeiro a investigar Biden e seu filho, Hunter, em troca da liberação de um pacote de ajuda financeira e militar. 

Trump responde também à acusação de obstruir o Congresso ao supostamente atrapalhar as investigações depois que o episódio envolvendo a Ucrânia foi descoberto.

Dershowitz já afirmou publicamente que votou na democrata Hillary Clinton no último pleito, mas desde então tem apoiado Trump em entrevistas a emissoras de TV, além de ter escrito um livro no qual se opõe ao impeachment do presidente. 

Em um comunicado divulgado nesta sexta (17), o advogado afirmou que "participará do julgamento do impeachment para defender a integridade da Constituição e impedir a criação de um perigoso precedente constitucional". 

Outra adição confirmada por pessoas próximas ao republicano é a de Kenneth Star, que também representou Epstein —o empresário foi acusado de tráfico sexual de menores e de conspiração criminosa para traficar menores e explorá-los sexualmente.

Star ganhou notoriedade durante o impeachment do democrata Bill Clinton (1993—2001), em 1999. Como advogado independente (que não representa nenhuma das partes), ele foi o principal responsável pelo inquérito do caso envolvendo a então estagiária da Casa Branca Monica Lewinsky. 

Clinton foi absolvido no Senado das denúncias de perjúrio e obstrução de Justiça. Starr havia recomendado que ele fosse condenado por 11 acusações no total. 

A equipe de defesa de Trump será liderada pelo advogado da Casa Branca, Pat Cipollone.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.