Novo vídeo mostra pouso forçado de avião russo em chamas; veja

Aeronave fez pouso de emergência em 2019, acidente deixou 41 mortos

São Paulo

Um novo vídeo de um avião em chamas que precisou fazer um pouso de emergência após acidente em maio de 2019 foi divulgado nesta quinta-feira (16) pelo Comitê de Investigação da Federação Russa.

As novas imagens mostram o momento em que a aeronave da companhia aérea russa Aeroflot, já em chamas, faz uma aterrissagem fora da pista no aeroporto internacional de Sheremetievo, em Moscou.

Enquanto a parte de trás do avião está tomada pelo fogo, parte dos passageiros consegue escapar ao descer por tobogãs infláveis nas portas dianteiras da aeronave. Autoridades informaram que 41 dos 78 passageiros morreram, dentre os quais duas crianças, e 11 ficaram feridos.

O avião Sukhoi Superjet-100 havia decolado do aeroporto de Sheremetievo e se dirigia para a cidade de Mursmank, no Círculo Ártico. Vinte e oito minutos após o início do voo, os pilotos reportaram para a torre de controle uma emergência a bordo e retornaram.

O comandante fez, então, uma primeira tentativa fracassada de pouso de emergência. Na segunda, conseguiu aterrissar, mas bateu com a fuselagem no solo da pista diversas vezes, danificando tanques de combustível e fazendo com que um incêndio começasse na parte traseira da aeronave.

No dia seguinte ao acidente, o piloto da aeronave apontou que as duras condições climáticas foram as causas da tragédia.

"Devido a um raio, perdemos o contato de rádio e passamos para o regime de pilotagem mínima. Ou seja, sem um computador como de costume, mas de maneira direta. Em regime de emergência", disse o piloto a um jornal russo.

Avião pega fogo ao aterrissar no aeroporto internacional de Moscou - Gunkevitch - 5.mai.19 / AFP

O Sukhoi Superjet 100, a primeira aeronave civil projetada pela Rússia pós-soviética para competir com a brasileira Embraer e a canadense Bombardier no mercado de aeronaves regionais, foi motivo de orgulho para o país na época de seu lançamento, em 2011.

Contudo, desde então, foi criticada e teve pouquíssima aceitação fora do mercado russo. Várias empresas estrangeiras mencionaram problemas de confiabilidade.

Com informações de Reuters e AFP

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.