Descrição de chapéu Coreia do Norte

Sem esclarecer rumores, TV estatal da Coreia do Norte divulga texto de Kim Jong-un

Segundo emissora, ditador agradeceu por meio de carta trabalhadores que construíram cidade recém-inaugurada

São Paulo

Sem comentar sobre os rumores a respeito da saúde do líder norte-coreano nem dar pistas sobre seu paradeiro, o canal de TV estatal da Coreia do Norte divulgou uma mensagem de Kim Jong-un no final do domingo (26).

Por meio de uma carta, o ditador agradeceu aos trabalhadores e oficiais que trabalharam na construção de Samjiyon, cidade planejada inaugurada em dezembro próxima ao Monte Paektu, no norte do país, considerado o berço do Reino da Coreia.

Ainda de acordo com a televisão estatal, o presidente do Comitê Central do Partido Comunista da Rússia enviou saudações a Kim Jong-un, que respondeu via porta-voz que as tinha recebido. As notícias não foram acompanhadas de imagens.

Especulações sobre a saúde e mesmo a possível morte do ditador norte-coreano têm circulado na última semana, com base em sua ausência em eventos públicos importantes, como o aniversário de seu avô, Kim Il-sung, fundador da Coreia do Norte, no último dia 15.

Como o país é um dos mais fechados do mundo, há pouca certeza sobre os motivos do sumiço de Kim, que foi visto pela última vez em 11 de abril, quando apareceu no canal estatal do país.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, descartou como falsos os rumores sobre a morte de Kim.

No domingo (26), um porta-voz sul-coreano afirmou ao canal americano Fox News que Kim Jong-un está "vivo e bem".

"A posição de nosso governo é firme", disse Chung-in Moon, conselheiro de política externa do presidente Moon Jae-in. "Kim está vivo e bem. Ele tem estado na área de Wonsan desde 13 de abril. Nenhum movimento suspeito foi detectado até agora."

Nesta segunda, a agência oficial de notícias do país, KCNA, informou que Kim enviou uma mensagem ao presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa. O norte-coreano cumprimentou o governante e a população do país africano pelo Dia da Liberdade, feriado nacional que celebra as primeiras eleições livres após o fim do apartheid, e congratulou os locais por seus esforços em promover a união nacional.

Cinco dias antes, Kim respondeu à uma carta do ditador sírio, Bashar al-Assad, que havia parabenizado o norte-coreano na data que marca o nascimento de seu avô, Kim Il-sung. A ausência de Kim Jong-un no evento comemorativo foi o que despertou os rumores sobre seu estado de saúde.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.