Presidente palestino anuncia fim de acordos com Israel e EUA

Mahmoud Abbas não deu detalhes sobre significado prático da declaração

Ramallah | AFP

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, anunciou nesta terça-feira (19) o fim dos acordos do governo palestino com Israel e com os EUA.

“[O governo palestino] está liberado, a partir de hoje, de todos os acordos e entendimentos com o governo americano e israelense e de todas as obrigações baseadas nesses acordos, incluindo os relacionados à segurança”, disse Abbas, em reunião com outros líderes palestinos em Ramallah, capital administrativa da ANP.

Mahmoud Abbas usa máscara em encontro com líderes palestinos em Ramallah, capital administrativa da Autoridade Palestina - Alaa Badarneh - 19.mai.20/Reuters

A declaração de Abbas vem após uma nova gestão tomar posse em Israel no último domingo (17). Uma coalizão entre o primeiro-ministro, Binyamin Netanyahu, e Benny Gantz, líder do partido centrista Azul e Branco, conseguiu formar governo no país, marcando o fim de 500 dias de impasse político.

A anexação do vale do Rio Jordão e de assentamentos espalhados pela Cisjordânia é uma das promessas de campanha de Netanyahu. O novo governo planeja começar a debater em julho a extensão de sua soberania sobre essas áreas, medida apoiada pelos EUA.

Na semana passada, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, visitou Israel e disse que a anexação deveria ser feita de acordo com o plano de paz para a região elaborado por Washington.

Mas Mahmoud Abbas afirma que a medida arruinaria qualquer possibilidade de paz entre Israel e Palestina, impossibilitando a criação de dois Estados na região.

Abbas já havia ameaçado colocar fim nos acordos entre os três países. Na semana passada, o presidente afirmou que qualquer anexação culminaria no rompimento dos acordos.

Ele não deu detalhes sobre o significado prático da declaração desta terça.

Especialistas dizem que a coordenação entre as forças de segurança de Israel e da Palestina na Cisjordânia ocupada é benéfica para os dois países, já que evita que o Hamas se estabeleça nesse território.

A Cisjordânia é governada pelo partido Fatah, de Abbas, enquanto o Hamas domina a Faixa de Gaza.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.