Milícia fere a tiros ativista que tentava derrubar estátua de conquistador nos EUA

Grupo armado atacou pessoas que protestavam contra racismo no Novo México

Los Angeles | Reuters e AFP

Um homem ficou gravemente ferido nesta segunda-feira (15) nos EUA após levar tiros durante um protesto em que os manifestantes tentavam derrubar a estátua de um conquistador espanhol do século 16. O ataque ocorreu perto de um museu em Albuquerque, no estado americano de Novo México.

A polícia informou que a vítima está em estado crítico, mas estável.

Segundo o jornal local The Albuquerque Journal, os tiros foram disparados por membros armados de uma milícia civil chamada Guarda Civil do Novo México contra ativistas que tentavam derrubar a estátua de Juan de Oñate, primeiro governador do Novo México no período colonial.

Homens tentam ajudar ferido durante ataque de milícia em Albuquerque, Novo México, nos EUA
Homens tentam ajudar ferido durante ataque de milícia em Albuquerque, Novo México, nos EUA - Fight For Our Lives/Social Media via Reuters

De acordo com a publicação, um integrante dessa milícia de extrema direita se envolveu em uma briga os manifestantes, tirou uma arma e disparou cinco tiros.

Steven Baca, 31, foi detido como principal suspeito nesta terça (16) e acusado de agressão com uma arma mortal (crime parecido ao de lesão corporal no direito brasileiro). Até o momento, não se sabe se ele era membro da Guarda Civil do Novo México.

Baca, filho de um ex-xerife do condado de Bernalillo, tentou se eleger conselheiro municipal (cargo semelhante ao de verador) de Albuquerque em 2019. Em sua campanha, ele defendeu políticas anti-crime mais duras e criticou um acordo federal que impunha limites na atuação da polícia.

"Os indivíduos com armas pesadas que foram à manifestação, autodenominados 'guarda civil', estavam no local por apenas uma razão: ameaçar os manifestantes", escreveu numa rede social a governadora do estado, a democrata Michelle Lujan Grisham.

O chefe de polícia de Albuquerque, Michael Geier, disse em um comunicado ter recebido relatos de que os grupos de milicianos estavam instigando a violência no local.

O FBI (polícia federal americana) auxilia o departamento de polícia da cidade no interrogatório dos suspeitos.

O monumento que os manifestantes tentavam derrubar é parte de uma controversa escultura chamada “La Jornada”, que homenageia Oñate, conhecido pelo massacre de uma tribo em 1599 ao liderar um grupo de espanhóis na invasão do Novo México.

O prefeito de Albuquerque, Tim Keller, disse que a cidade removeria a escultura de por questões de segurança pública —um outro monumento em homenagem ao governador colonial também foi derrubado em Alcalde, Novo México, na segunda.

Vídeos postados em redes sociais, aparentemente do momento do ataque, mostram um homem deitado no chão enquanto várias pessoas tentam ajudá-lo. Outra cena mostra três homens deitados com o rosto virado para o chão, rendidos pela polícia.

Manifestantes antirracismo revoltados pela morte violenta de George Floyd, um homem negro, por um policial branco em Minneapolis, têm destruído estátuas que homenageiam imperialistas, conquistadores e outras figuras históricas associadas à escravização de populações negras e indígenas ao redor do mundo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.