Descrição de chapéu Governo Trump

Após críticas de Trump, manifestantes derrubam estátua de Cristóvão Colombo

Em discursos do Dia da Independência dos EUA, presidente condenou prática

Washington | AFP

Manifestantes derrubaram no sábado (4) uma estátua de Cristóvão Colombo na cidade de Baltimore, na Costa Leste dos Estados Unidos, em um novo episódio da onda de ataques a monumentos de personagens históricos vinculados à escravidão e ao colonialismo.

Os manifestantes derrubaram a estátua, localizada no bairro de Little Italy, com a ajuda de cordas, segundo imagens divulgadas pelo site do jornal local The Baltimore Sun.

Manifestantes usam cordas para derrubar estátua de Cristóvão Colombo em Baltimore, Maryland, no dia da Indpendência dos EUA
Manifestantes usam cordas para derrubar estátua de Cristóvão Colombo em Baltimore, Maryland, no dia da Independência dos EUA - Spencer Compton - 4.jul.20/Reuters

Em Richmond, na Virgínia, outra estátua do navegador já havia sido derrubada, incendiada e jogada num lago.

Desde 25 de maio, quando começaram os protestos pela morte de George Floyd, asfixiado por um policial branco em Minneapolis, manifestantes em todo o país derrubaram dezenas de imagens de personagens ligados ao Exército Confederado, que defendeu a manutenção da escravidão na Guerra Civil Americana, ao colonialismo e ao racismo.

O presidente americano, Donald Trump, criticou os ativistas nos dois discursos que fez nas comemorações do 4 de Julho, dia da independência americana.

Na sexta-feira (3), o republicano afirmou que o movimento a favor da derrubada de estátuas de líderes confederados e de outras figuras históricas ligadas à discriminação e ao colonialismo é uma tentativa de apagar a história dos Estados Unidos.

“Multidões raivosas estão tentando demolir estátuas de nossos fundadores, desfigurar nossos memoriais mais sagrados e desencadear uma onda de crimes violentos em nossas cidades”, afirmou o presidente durante o evento no Monte Rushmore, na Dakota do Sul, monumento que homenageia quatro ex-presidentes.

Na solenidade realizada na Casa Branca, no sábado (4), Trump voltou ao tema. “Nosso passado não é um fardo a ser abandonado”.

O movimento contra a permanência de monumentos de figuras ligadas ao racismo se estendeu à Europa, onde estátuas do rei Leopoldo 2º da Bélgica foram pichadas ou derrubadas.

O monarca, que reinou na Bélgica de 1865 a 1909, foi responsável pela morte de milhões de africanos nas décadas em que foi proprietário da única colônia particular da história, onde hoje fica a República Democrática do Congo.

Em Londres, um monumento em homenagem a Robert Milligan também foi retirado por manifestantes. O inglês chegou a possuir 526 escravos em suas duas plantações de açúcar, na Jamaica. ​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.