Descrição de chapéu Eleições EUA 2020

Centenas protestam contra Trump em frente à Casa Branca durante convenção republicana

Manifestantes entraram em confronto com policiais na capital, Washington

Washington | AFP

Centenas de apoiadores do movimento Black Lives Matter (vidas negras importam) se reuniram em frente à Casa Branca nesta quinta-feira (27), horas antes de o presidente Donald Trump aceitar formalmente a nomeação republicana para disputar as eleições presidenciais de novembro.

Os manifestantes começaram a chegar por volta das 18h (19h em Brasília) à Black Lives Matter Plaza, onde cantaram e tocaram músicas. Por volta das 21h (22h em Brasília), houve tensões entre ativistas anti-Trump e um grupo menor de apoiadores do presidente, segundo o Washington Post.

Policiais e manifestantes entram em confronto durante ato do lado de fora da Casa Branca, em Washington, durante a convenção nacional do Partido Republicano
Policiais e manifestantes entram em confronto do lado de fora da Casa Branca, em Washington, durante a convenção nacional do Partido Republicano - Leah Millis/Reuters

A polícia atuou para separar os envolvidos, o que gerou confrontos com os manifestantes anti-Trump, cuja pauta inclui o combate à violência policial, especialmente contra negros.

"Precisamos tirar Trump, precisamos destruir todo o sistema. Precisamos de uma revolução", disse Keheirra Wedderburn, 18, pedindo a renúncia do presidente com gritos de "Fora Trump e Pence, agora!".

"Esses presidentes não vão fazer nada porque eles não são as pessoas de cor que estão sendo fuziladas nas ruas", acrescentou o estudante negro de Houston, no Texas.

A poucos metros de distância, protegido por grandes cercas de metal, o republicano se preparava para aceitar a indicação presidencial de seu partido com um discurso no gramado sul da Casa Branca.

"Não queremos ver Donald Trump aceitar a indicação. O objetivo é abafá-la", disse Miriam Oppenheimer, que veio da Filadélfia para a manifestação.

Do outro lado da Casa Branca, os apoiadores de Trump se reuniram no National Mall, um extenso parque verde rodeado por museus e monumentos aos líderes americanos.

"Achamos que Trump encoraja o povo a ser violento, e estamos encorajando as pessoas a serem pacíficas", disse Oppenheimer, 53, com uma placa que dizia: "Policiais são ferramentas do fascismo".

Os protestos antirracismo, desencadeados em maio pelo assassinato do homem negro George Floyd por policiais em Minnesota, começaram a diminuir nas últimas semanas.

No entanto, novas manifestações eclodiram nesta semana após um policial branco disparar sete tiros à queima-roupa nas costas de Jacob Blake, um homem negro de 29 anos, enquanto ele tentava entrar em um carro com seus filhos dentro, na cidade de Kenosha, no Wisconsin. Blake sobreviveu, mas deve permanecer paralisado da cintura para baixo, de acordo com o advogado de sua família.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.