Descrição de chapéu Coreia do Norte

Coreia do Norte pode ter dispositivo nuclear que cabe em míssil, diz relatório da ONU

Documento confidencial afirma que país continua desenvolvendo armas nucleares

Nova York | Reuters

A Coreia do Norte continua com seu programa de armas nucleares e vários países afirmam acreditar que os norte-coreanos “provavelmente desenvolveram dispositivos nucleares em miniatura que cabem dentro das ogivas de seus mísseis balísticos”, aponta um relatório confidencial da ONU.

O documento, feito por um painel de especialistas independentes que monitora as sanções da organização e ao qual a agência de npotícias Reuters teve acesso, afirma que alguns países (não identificados no texto) indicam que os últimos seis testes nucleares norte-coreanos provavelmente ajudaram a desenvolver esses dispositivos em miniatura.

Pyongyang não conduz testes nucleares desde setembro de 2017.

O relatório foi enviado aos 15 membros do comitê de sanções à Coreia do Norte, parte do Conselho de Segurança da ONU, nesta segunda-feira (3). Cabe ao órgão decidir sobre novas punições ao país.

De acordo com o texto, a Coreia do Norte “continua com seu programa nuclear, incluindo a produção de urânio altamente enriquecido e a construção de um reator de água leve”.

Um Estado membro do grupo avaliou que o país asiático “pode tentar desenvolver a miniaturização para permitir a incorporação de aperfeiçoamentos tecnológicos”, entre os quais sistemas múltiplos de ogivas.

A missão da Coreia do Norte na ONU não respondeu a um pedido da Reuters para comentar o relatório.

Na semana passada, o ditador norte-coreano, Kim Jong-un, exaltou seu poderio nuclear e afirmou que o país está livre de guerras por causa de suas armas, que garantiriam sua segurança e seu futuro, apesar das ameaças militares e das pressões externas.

O país tem sido alvo de sanções da ONU desde 2006 devido aos programas nuclear e balístico. Para tentar cortar o financiamento a essas iniciativas, o conselho tem fortalecido as punições ao longo do tempo.

Kim Jong-un e o presidente americano, Donald Trump, encontraram-se três vezes desde 2018, mas não conseguiram progredir nas conversas. Os EUA exigem que Pyongyang abandone o programa nuclear, enquanto a Coreia do Norte pede o fim das sanções contra o país.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.