Após reportagem do NYT, Trump afirma ter pago milhões em impostos

Apuração do jornal revelou que presidente ficou 10 anos sem pagar taxas ao governo

Washington | Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, respondeu nesta segunda-feira (28) a uma reportagem publicada pelo New York Times e afirmou ter pago "milhões de dólares em impostos".

Segundo informações fiscais obtidas pelo jornal que abrangem o período de 2000 a 2017, tanto do presidente quanto de suas empresas, Trump não pagou nenhum imposto de renda em 10 dos 15 anos avaliados, em grande parte porque declarou mais perdas do que receitas.

Em 2016 —ano em que ganhou as eleições presidenciais— e em 2017, Trump gastou apenas US$ 750 (R$ 4.171, na cotação atual) em impostos federais, de acordo com o jornal.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, discursa nos jardins da Casa Branca - Mandel Ngan - 28.set.2020/AFP

No entanto, o próprio New York Times afirma que Trump pagou quase US$ 95 milhões (R$ 528 milhões) em impostos federais ao longo de 18 anos, mas recuperou boa parte desse dinheiro —US$ 72,9 milhões (R$ 405 milhões)— por meio de deduções fiscais.

Assim, entre 2000 e 2017, ele pagou em média US$ 1,4 milhão (R$ 7,7 mi) em impostos por ano. Como comparação, outros bilionários dos EUA pagaram, em média, US$ 25 milhões (R$ 139 mi) ao ano.

Para obter os abatimentos, o presidente declarou grandes perdas financeiras. Há dúvidas, porém, se esses prejuízos foram reais ou se eram apenas uma estratégia para reduzir impostos, prática permitida nos EUA. Ao se pronunciar em uma série de posts no Twitter, Trump indicou que a segunda opção é a mais provável.

"Eu paguei milhões de dólares em impostos, mas tinha direito, como todo mundo, a depreciação e créditos fiscais", escreveu o presidente. "Sou extremamente subalavancado —tenho muito pouco endividamento em comparação com o valor dos ativos", continuou.

O presidente não apresentou provas para nenhuma das duas alegações e disse que, desde o anúncio de que concorreria à Presidência, afirma que "talvez publicasse suas declarações de impostos, apresentando suas propriedades, ativos e dívidas".

Segundo Trump, são declarações "IMPRESSIONANTES" e que também provam que ele é o primeiro presidente a abrir mão do salário de mais de US$ 400 mil (R$ 2,2 milhões) anuais.

As declarações de imposto de renda de Trump estão no centro de uma batalha jurídica, já que ele sempre se negou a publicá-las, indo contra a tradição mantida por seus antecessores na Casa Branca.

Esta falta de transparência dá margem para especulações sobre o verdadeiro volume de sua riqueza e possíveis conflitos de interesse. As Organizações Trump abarcam mais de 500 empresas diferentes. Muitos de seus negócios, como campos de golfe e um hotel com seu nome em Washington, relataram perdas de milhões de dólares ano após ano.

Trump também colocou gastos pessoais, como o custo de um avião particular e mais de US$ 70 mil (R$ 389 mil, na cotação atual) em serviços de cabeleireiro durante a produção de "O Aprendiz", como despesas empresariais. Manobras como essas ajudam a deduzir taxas.

Além disso, o presidente teria mais de US$ 300 milhões (R$ 1,6 bilhão) em empréstimos a vencer nos próximos anos, em dívidas nas quais ele tem responsabilidade pessoal.

Democratas afirmam que as possíveis dívidas de Trump são uma questão de segurança nacional.

Segundo a presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi, a população merece saber a quem o presidente deve dinheiro, porque isso pode ser usado contra ele. A campanha de Joe Biden, adversário de Trump na eleição de 3 de novembro, disponibilizou em seu site uma calculadora que permite aos internautas comparar quanto pagaram de imposto com o valor pago pelo presidente.

O democrata, porém, não deu declarações públicas sobre o assunto. Procurada pelo New York Times, a cúpula do Partido Republicano no Congresso também preferiu não se manifestar.

Segundo a revista Forbes, Trump tem patrimônio estimado em US$ 2,5 bilhões (R$ 13,9 bilhões). No entanto, como suas empresas não são listadas na bolsa, não há informações públicas detalhadas sobre a real situação delas.

Ao assumir o cargo, ele repassou o controle de suas empresas aos filhos, mas pairam dúvidas se Trump usou a Presidência para beneficiar seus negócios.

Trump é investigado por procuradores de Manhattan por suspeitas de ter agido de modo ilegal ao repassar dinheiro para comprar o silêncio de Stormy Daniels, atriz pornô que diz ter tido um encontro com ele. O presidente nega. A ação também investiga o uso de dinheiro de origem oculta na campanha de 2016 —prática comparada ao crime conhecido no Brasil como caixa dois.

Os procuradores intimaram Trump a apresentar seus documentos fiscais dos últimos oito anos. O presidente tentou barrar a solicitação em setembro, com apoio do Departamento de Justiça, mas teve o pedido negado. Em uma decisão de 75 páginas, o juiz Victor Marrero disse que o argumento de Trump é "repugnante para a estrutura governamental da nação e para os valores constitucionais".

O presidente ainda pode apelar da decisão.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.