Descrição de chapéu Eleições EUA 2020

Aliado de Trump, Boris Johnson parabeniza Biden; veja reações de políticos pelo mundo

Macron fala em trabalhar junto com presidente eleito dos EUA; Obama diz que 'não poderia estar mais orgulhoso'

São Paulo

Um dos principais aliados do presidente Donald Trump, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, foi um dos primeiros líderes a parabenizar Joe Biden e Kamala Harris, presidente eleito e vice-presidente eleita dos Estados Unidos.

"Parabéns a Joe Biden por sua eleição como presidente dos Estados Unidos e a Kamala Harris por sua conquista histórica. Os EUA são nosso aliado mais importante e estou ansioso por trabalhar junto com eles em nossas prioridadades comuns, das mudanças climáticas ao comércio e segurança", escreveu Boris nas redes sociais.

O presidente da França, Emmanuel Macron, que teve uma relação com Trump marcada por altos e baixos, afirmou: "Os americanos escolheram o seu presidente. Parabéns @JoeBiden e @KamalaHarris! Temos muito a fazer para superar os desafios do presente. Vamos trabalhar juntos!".

O presidente eleito dos EUA, Joe Biden, e a vice-presidente eleita, Kamala Harris, durante convenção nacional do Partido Democrata - Kevin Lamarque - 20.ago.20/Reuters

Em nota divulgada por seu porta-voz, a chanceler alemã, Angela Merkel, desejou sorte e sucesso a Joe Biden e disse que "o povo americano fez a sua decisão".

"Eu espero ansiosamente trabalhar com o presidente Biden. Nossa amizade transatlântica é indispensável para lidar com os grandes desafios do nosso tempo."

Ursula von der Leyen, chefe da Comissão Europeia, equivalente ao Executivo da União Europeia, parabenizou Biden e Kamala.

"Eu felicito calorosamente @JoeBiden e @KamalaHarris pela sua vitória nas eleições presidenciais americanas. A União Europeia e os Estados Unidos são amigos e aliados, nossos cidadãos compartilham vínculos mais profundos. Estou ansiosa para trabalhar com o presidente eleito Biden."​

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, parabenizou o "povo americano e as instituições por uma excelente demonstração de vitalidade democrática".

"Estamos prontos para trabalhar com o presidente eleito @JoeBiden para fortalecer nossa relação transatlântica. Os EUA podem contar com a Itália como um aliado sólido e parceiro estratégico."​

O premiê indiano, Narendra Modi, citou uma "vitória espetacular" ao parabenizar Biden e Kamala. "Como vice-presidente [de Barack Obama] sua contribuição para o fortalecimento das relações indo-americanas foi fundamental e valioso. Estou ansioso para trabalharmos juntos mais uma vez para levar as relações Índia-EUA a um patamar maior", escreveu Modi.​

Kamala Harris é a primeira vice-presidente eleita de ascendência indiana da história americana —sua mãe nasceu na cidade de Chennai, na região leste da Índia.

Em Portugal, o primeiro-ministro António Costa disse esperar que em breve possa trabalhar "no reforço das relações transatlânticas e na gestão de assuntos globais, como as alterações climáticas, a defesa da democracia e a segurança internacional".

O conservador Andrzej Duda, presidente da Polônia, também parabenizou Joe Biden, mas pela "campanha presidencial bem-sucedida".

Aliado de Trump, ele disse no Twitter que espera a decisão do colégio eleitoral e que "a Polônia está determinada a manter uma parceria estratégica Polônia-EUA de alto nível e de alta qualidade para uma aliança ainda mais forte".

Um dos principais expoentes do populismo na Europa e também um aliado do atual presidente, o primeiro ministro da Hungria, Viktor Orbán, enviou neste domingo (8) uma carta a Biden.

"Deixe-me parabenizá-lo por uma campanha presidencial bem-sucedida. Desejo-lhe boa saúde e sucesso contínuo no desempenho de seus deveres extremamente responsáveis", disse.

O presidente ucraniano Volodimir Zelesnki, pivô de uma crise que levou à abertura de um processo de impeachment contra Trump, também deu parabéns a Biden e Kamala. Ele disse estar otimista em relação à parceria entre os dois países. "Ucrânia e Estados Unidos sempre colaboraram na segurança, comércio, investimento, democracia, luta contra a corrupção. Nossa amizade apenas se fortalece!", escreveu.

O presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev, também parabenizou Joe Biden e disse esperar uma cooperação produtiva entre os dois países em áreas de interesse mútuo. O maltês George Vella também deu parabéns ao presidente eleito dos EUA.

O primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, também desejou parabéns a Biden e Kamala e disse que espera fortalecer mais a aliança entre os dois países e assegurar "paz, liberdade e prosperidade na região do Indo-Pacífico e além".

O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, parabenizou o presidente e a vice-presidente eleitos dos EUA por meio de uma mensagem no Twitter na madrugada deste domingo (8).

Bibi, como o premiê israelense é conhecido, lembrou que tem uma "longa, calorosa e pessoal relação de quase 40 anos" com o democrata, a quem chamou de "grande amigo de Israel".

"Estou ansioso para trabalhar com vocês para fortalecer a aliança especial entre EUA e Israel."

Lideranças do Irã e da Palestina deram sinais de que veem a vitória de Biden como uma oportunidade para para retomar elos com os EUA.

O presidente iraniano, Hassan Rouhani, disse que "o próximo governo dos EUA deveria usar a oportunidade para compensar os erros do passado", em refererência à saída do acordo nuclear com Teerã, orquestrada por Trump. Para Biden, a retomada do acordo seria "um ponto de partido para negociações subsequentes".

Mahmoud Abbas, líder da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), parabenizou Biden pela vitória na eleição por meio de um comunicado divulgado por seu gabinete em Ramallah, na Cisjordânia.

"Estou ansioso para trabalhar com o presidente eleito e seu governo para fortalecer as relações palestino-americanas e alcançar liberdade, independência, justiça e dignidade para nosso povo", disse Abbas.

As propostas de Biden para a região incluem uma solução de dois Estados para o conflito com israelenses, com a Palestina coexistindo ao lado de Israel.

"Eu não poderia estar mais orgulhoso de parabenizar nosso próximo presidente, Joe Biden, e nossa próxima primeira-dama, Jill Biden.Eu também não poderia estar mais orgulhoso de parabenizar Kamala Harris e Doug Emhoff [marido de Kamala] pela inovadora eleição de Kamala como nossa próxima vice-presidente", disse o ex-presidente americano Barack Obama​, de quem Biden foi vice por oito anos.

"Temos sorte de Joe ter o que é preciso para ser presidente", afirmou Obama, de quem Biden foi vice-presidente entre 2009 e 2017.

"Eu sei que pode ser exaustivo. Mas para que a democracia resista, é preciso manter nossa cidadania ativa e nosso foco nas questões —não apenas na temporada de eleições, mas em todos os dias.Nossa democracia precisa de nós mais do que nunca. E Michelle e eu estamos ansiosos para apoiar nosso próximo presidente e a primeira-dama da maneira que pudermos", completou Obama.

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, também parabenizou a dupla democrata, e afirmou que "Chile e Estados Unidos compartilham valores como a liberdade, a defesa dos direitos humanos e desafios como a paz e a proteção do meio ambiente".​

O presidente argentino, Alberto Fernández, também se manifestou.

"Felicito o povo estadunidense pelo recorde de participação nas eleições, uma clara expressão da vontade popular. Parabenizo @JoeBiden, próximo presidente dos Estados Unidos, e @KamalaHarris, que será a primeira mulher vice-presidente desse país", escreveu Fernández em rede social.​

O presidente da Colômbia, Iván Duque, felicitou Biden e Kamala. "Desejamos a eles os melhores êxitos em sua gestão. Trabalharemos juntos para fortalecer a agenda comum em comércio, meio ambiente, segurança e luta contra o crime transnacional."

O presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, se juntou aos líderes que parabenizaram Biden nas redes sociais.

"Felicito o presidente eleito dos EUA @JoeBiden. Trabalharemos para fortalecer as relações entre nossos países pelo bem de nossa gente."

Andrés Manuel Lopez Obrador, presidente do México, foi na contramão de outras lideranças e disse que não pode reconhecer Biden como presidente eleito até que todos os processos judiciais que questionam a apuração da eleição nos EUA sejam terminados.

O presidente chamou sua postura de "politicamente prudente". Obrador disse ter boas relações tanto com Trump quanto com Biden.

O ditador Nicolás Maduro disse que a Venezuela "estará sempre pronta para o diálogo e o entendimento com o povo e o governo dos EUA"

"Felicito o povo americano pela eleição presidencial. Também felicito o presidente eleito Joe Biden e a vice-presidente Kamala Harris por sua vitória", disse Maduro, no Twitter.

​O premiê espanhol, Pedro Sánchez, desejou felicidades e sorte a Biden e a Kamala Harris e disse estar preparado para "cooperar com os Estados Unidos e fazer frente juntos aos grandes desafios globais".

O ex-presidente americano Jimmy Carter (1977-1981) e a ex-primeira-dama Rosalynn Carter felicitaram Biden e Kamala, afirmando estarem ansiosos "para ver a mudança positiva que eles vão trazer para a nossa nação". Democrata, Carter é um dos presidentes de mandato único que não conseguiu se reeleger, grupo ao qual Trump se junta agora.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, em nota divulgada pela Fundação FHC, afirmou: “Vivemos nestes últimos dias um momento decisivo para a democracia. Por isso abrimos uma exceção à regra de não nos manifestarmos sobre política partidária e eleitoral. É simbólico que a decisão do povo americano tenha sido sacramentada com os votos da cidade de Filadélfia, capital da Pensilvânia".

"Mais de 200 anos atrás, em 1787, ali se aprovou a Constituição dos Estados Unidos da América, que assentou as bases para o desenvolvimento da democracia naquele país, com repercussões favoráveis ao fim do domínio colonial na América Latina e das monarquias absolutistas na Europa. Em dois séculos e meio, nenhum presidente americano havia buscado deslegitimar o processo eleitoral, um dos alicerces fundamentais da democracia. O atual o fez sistemática e deliberadamente. Sua reeleição representaria, portanto, um grave risco à democracia, e não só nos Estados Unidos. Por isso, pelo que não aconteceu, vivemos um momento histórico, que merece ser celebrado", acrescentou a nota de FHC.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nas redes sociais que "o mundo respira aliviado com a vitória de Biden".

"Neste momento tão importante em que o povo norte-americano se manifestou contra o trumpismo e tudo o que ele representa, de rejeição de valores humanos, ódio, abandono da vida e agressões contra nossa querida América Latina, saúdo a vitória de Biden e manifesto a esperança de que ele não só internamente, mas também em suas relações com o mundo e com a América Latina, se paute pelos valores humanistas que caracterizaram a sua campanha", afirmou no Twitter.

O ex-presidente Michel Temer também cumprimentou Joe Biden pela eleição. "Recordo com alegria os encontros que mantivemos, em particular a visita que você me fez na ONU, quando assumi a Presidência da República. Desejo-lhe votos de muito êxito", afirmou nas redes sociais.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou que a "vitória de @JoeBiden restaura os valores da democracia verdadeiramente liberal, que preza pelos direitos humanos, individuais e das minorias. Parabenizo o presidente eleito e, em nome da Câmara dos Deputados, reforço os laços de amizade e cooperação entre as duas nações".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.