Descrição de chapéu Diplomacia Brasileira

Bolsonaro completa 10 dias sem reconhecer Biden como presidente eleito dos EUA

Brasileiro mantém silêncio, e expectativa é a de que ele só se manifeste após recontagem de votos

Brasília

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) completou nesta terça-feira (17) dez dias sem reconhecer Joe Biden como presidente eleito dos Estados Unidos.

As principais emissoras americanas projetaram a vitória do democrata no sábado (7), quando ele atingiu 273 votos no Colégio Eleitoral, nome do sistema indireto que elege os presidentes nos EUA.

Sem máscara, o presidente Jair Bolsonaro participa de evento que comemora o aniversário de 54 anos da Embratur, no Palácio do Planalto, em Brasília
Sem máscara, o presidente Jair Bolsonaro participa de evento que comemora o aniversário de 54 anos da Embratur, no Palácio do Planalto, em Brasília - Evaristo Sá/AFP

Na sexta (13), a vantagem do democrata sobre o republicano Donald Trump, aliado de Bolsonaro, ficou ainda maior. Ao final do processo, ele conquistou 306 delegados, ao vencer no Arizona e na Geórgia.

Para chegar à Casa Branca, o candidato precisava obter ao menos 270 de 538 votos possíveis. Trump alcançou, segundo as projeções, 232 votos.

O republicano tem posto em xeque as projeções e, sem apresentar provas, dito que houve fraudes no pleito. Assim, o atual presidente dos EUA foi à Justiça e pediu a recontagem de votos em alguns estados.

No domingo (15), Trump pareceu ter reconhecido pela primeira vez que Biden venceu as eleições em um post nas redes sociais, mas voltou atrás horas depois. "Ele ganhou porque a eleição foi fraudada", postou Trump no Twitter, sem se referir a Biden pelo nome.

A rede social adicionou um aviso na postagem de que as alegações do atual presidente são duvidosas.

Cerca de uma hora depois, em um novo post, Trump voltou atrás, dizendo que "não reconhece nada" e que Biden só foi o vencedor para a "imprensa de fake news". Segundo assessores diretos de Bolsonaro, o presidente só deverá reconhecer a vitória de Biden quando acabar a recontagem dos votos, houver a formalização da vitória do democrata ou se Trump admitir antes a derrota.

Na quinta (12), Bolsonaro questionou a apoiadores, de forma irônica, se o pleito já havia acabado nos EUA.

O Colégio Eleitoral se reúne no dia 14 de dezembro, quando deve ser formalizada a vitória de Biden.

Desde o dia em que foi declarado eleito, o democrata já recebeu o cumprimento da maioria dos líderes mundiais, entre os quais aliados de Trump, como o premiê do Reino Unido (Boris Johnson).

Nesta terça, Biden falou por telefone com o presidente Sebastián Piñera (Chile), o primeiro-ministro Narendra Modi (Índia), o premiê Binyamin Netanyahu e o presidente Reuven Rivlin (Israel), além do presidente Cyril Ramaphosa (África do Sul).

Na sexta, a China parabenizou a chapa democrata pela vitória, ampliando o isolamento de Bolsonaro.

Diferentemente do mandatário brasileiro, o vice-presidente Hamilton Mourão admitiu a vitória de Biden. Mourão ressaltou, no entanto, que sua opinião era uma posição pessoal e que o reconhecimento do novo presidente dos EUA é responsabilidade de Bolsonaro.

"Como indivíduo, eu reconheço [os números da apuração da eleição americana], mas temos que olhar que eu não respondo pelo governo", disse. Depois, o vice-presidente voltou a afirmar que a ação de reconhecimento caberia a Bolsonaro e que isso "brevemente vai acontecer".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.