Homem é preso por furar isolamento e atravessar o Mar da Irlanda de Jet Ski para encontrar namorada

Reencontro foi interrompido quando ele foi acusado criminalmente por ter violado as restrições de coronavírus

Londres | The New York Times

Na quinta-feira (10) Dale Mclaughlan comprou um Jet Ski. Na segunda-feira (14) o escocês de 28 anos foi sentenciado a quatro semanas de prisão. O que aconteceu nos dias entre um fato e o outro pode ser um dos casos mais incomuns de desrespeito às regras durante a pandemia de coronavírus.

No dia depois de comprar a moto aquática, Mclaughan partiu às 8h para fazer a travessia da costa sudoeste da Escócia para a Ilha de Man, entre a Inglaterra e a Irlanda, onde vive sua namorada. Ele previu que o trajeto levaria 40 minutos. Mclaughlan disse às autoridades mais tarde que nunca antes andara de Jet Ski e que, devido ao mau tempo no Mar da Irlanda, levou quatro horas e meia para fazer a travessia.

Mclaughlan encontrou sua namorada finalmente na noite de sexta-feira (11), depois de caminhar 24 km da costa da Ilha de Man até a casa dela na capital da ilha, Douglas. Os dois passaram o fim de semana curtindo a vida noturna da cidade, mas o reencontro deles foi interrompido quando Mclaughlan foi preso e acusado criminalmente por ter violado as restrições de coronavírus vigentes na ilha.

Vista da cidade de Douglas, capital da Ilha de Man, no Mar da Irlanda
Vista da cidade de Douglas, capital da Ilha de Man, no Mar da Irlanda - Guy Jackson/AFP

Na segunda-feira ele foi sentenciado a quatro semanas de prisão.

“Este indivíduo tinha consciência da lei e manifestou um descaso total quando optou por infringi-la, andando livremente na comunidade da ilha e potencialmente colocando vidas em risco”, disse Howard Quayle, ministro-chefe da Ilha de Man, em comunicado na terça-feira (15).

A Ilha de Man depende do Reino Unido para sua defesa mas se autogoverna. O acesso a ela está fechado a não residentes, com a exceção dos que têm autorização especial. Mclaughlan chegou sem permissão de entrada e não declarou sua chegada nem se isolou, disse Quayle.

Com cerca de 85 mil habitantes, a ilha tem apenas quatro casos ativos de coronavírus e não tem um caso contraído por transmissão local há mais de seis meses, segundo o ministro.

Fartas do isolamento, milhares de pessoas em todo o mundo vêm sendo detidas, multadas e até postas na prisão por desafiar as restrições do coronavírus. Em um caso ocorrido na Itália este ano, um homem foi multado quando saiu de casa para esfriar a cabeça depois de discutir com sua mulher, infringindo o toque de recolher. Em Taiwan, um homem foi punido por sair por oito segundos do cômodo onde fazia quarentena. Na Austrália, um homem foi detido por violar o "lockdown" para buscar um curry de frango.

Como muitas pessoas que estão distantes de seus entes queridos durante a pandemia, Mclaughlan estava tendo dificuldade em lidar com a distância, segundo a BBC, que citou seu advogado. Ele disse às autoridades que conheceu sua namorada em setembro, quando visitou a ilha a trabalho –ele é construtor de telhados. Depois de retornar à Escócia, ele duas vezes pediu autorização para viajar à Ilha de Man para rever sua namorada, mas os dois pedidos foram recusados.

O governo não se comoveu com seus argumentos. “Nós na Ilha de Man somos totalmente a favor da criatividade e ousadia”, disse Quayle em seu comunicado. “Mas, infelizmente, esta foi uma empreitada incrivelmente insensata e perigosa, que poderia ter tido final muito diferente, devido a esta época do ano.”

Quanto à razão porque Mclaughlan levou mais de quatro horas para atravessar uma distância curta, Allan Stirling, dono de uma revendedora de barcos em Linwood disse que a travessia deveria ter levado menos de uma hora.

“Dá para ver a Ilha de Man da península de onde ele partiu”, disse Stirling. "Cobrir essa distância não é uma grande façanha.”

Tradução de Clara Allain

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.