Descrição de chapéu Governo Biden

Biden quer ser parceiro do Brasil na área ambiental, diz embaixador dos EUA

Todd Chapman se reuniu com Hamilton Mourão, que preside Conselho da Amazônia

Brasília

O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, disse nesta sexta-feira (5) que o governo do presidente Joe Biden quer ser parceiro do Brasil na questão ambiental.

"Falamos sobre muitos temas, mas claro, muitos temas relacionados ao meio ambiente. Realmente a administração do meu novo presidente, Biden, está enfatizando muito a importância da mudança climática. Nós queremos ser bons parceiros do Brasil nisso, como já estamos trabalhando muito. Foi excelente a conversa e vamos continuar falando", afirmou Chapman após reunião com o vice-presidente brasileiro, Hamilton Mourão (PRTB).

O diplomata americano disse ter aumentado o interesse do país na questão de mudanças climáticas e salientou a indicação do ex-secretário John Kerry para cuidar do tema.

Todd Chapman, embaixador dos EUA no Brasil
Todd Chapman, embaixador dos EUA no Brasil - Divulgação Presidência da República

"Temos muita atenção a esse tema e queremos trabalhar em conjunto com o Brasil sobre isso."

A condução da política ambiental pelo governo brasileiro já foi alvo de crítica de Biden antes mesmo de ele ser eleito presidente, no primeiro debate entre o democrata e o então presidente, Donald Trump, em setembro do ano passado.

"A floresta tropical no Brasil está sendo destruída", criticou Biden, que prometeu se juntar a outros países e oferecer US$ 20 bilhões (R$ 112 bi à época) para ajudar na preservação da região.

"Parem de destruir a floresta e, se não fizer isso, você terá consequências econômicas significativas", completou, indicando possíveis retaliações ao governo brasileiro.

No dia seguinte, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) classificou como "lamentável" a fala do então candidato.

Já em 28 de janeiro deste ano, Biden riu após ser questionado sobre quando iria conversar com Jair Bolsonaro.

Nesta semana, o novo governo dos EUA recebeu um dossiê que pede o congelamento de acordos, negociações e alianças políticas com o Brasil enquanto Bolsonaro estiver na Presidência.​

Nesta sexta-feira, Mourão, que preside o Conselho da Amazônia, disse que a conversa com Chapman tinha como objetivo mostrar o que o governo brasileiro tem feito pela preservação ambiental.

"Queremos mostrar o que estamos fazendo, abrindo este diálogo, via embaixada, e deixar claro que as informações todas que forem necessárias nós temos condições de mostrar, para ouvir a realidade que está acontecendo lá. Foi um diálogo muito bom", afirmou o vice-presidente.

Segundo Mourão, foi acordada uma apresentação em inglês com os resultados da próxima reunião do Conselho da Amazônia, e Chapman ajudará na divulgação.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.