Descrição de chapéu Ásia

Em meio a surto de Covid, Índia ordena evacuação de 200 mil pessoas devido a ciclone

Com ventos acima de 180 km/h, fenômeno já causou 16 mortes, inundações e quedas de energia no país

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Ahmedabad (Índia) | Reuters

Mais de 200 mil pessoas tiveram que deixar suas casas no estado indiano de Gujarat nesta segunda (17) depois da chegada de um ciclone tropical que promete ser o mais intenso a atingir a região em décadas.

O fenômeno pode dificultar ainda mais a situação sanitária do país, que já enfrenta o maior surto de Covid-19 do planeta, com mais de 280 mil novos casos confirmados e 4.000 mortes por dia.

Ondas atingem a cidade de Mumbai, na Índia, após a chegada do ciclone Tauktae
Ondas atingem a cidade de Mumbai, na Índia, após a chegada do ciclone Tauktae - Sujit Jaiswal/AFP

“Esse ciclone é um duplo revés para milhões de pessoas na Índia, em famílias que foram atingidas por infecções e mortes recordes de Covid. Muitas famílias mal têm conseguido sobreviver”, afirmou à agência de notícias Reuters o representante da Cruz Vermelha para a região, Udaya Regmi.

A imunização contra o coronavírus foi suspensa preventivamente na região mais atingida pelo ciclone e ainda não há uma estimativa de quando ela deve voltar a funcionar. Com ventos acima de 180 km/h e causando ondas de até 4 metros, o Tauktae já atingiu a costa de outros quatro estados do país, deixando um rastro de destruição e ao menos 16 mortes confirmadas.

Capital financeira da Índia, a cidade de Mumbai foi uma das mais atingidas pelo ciclone, que inundou ferrovias e estradas de acesso e obrigou o aeroporto local a ser fechado. Além disso, embarcações com mais de 400 pessoas a bordo estão à deriva no mar à espera de resgate.

Apesar disso, a expectativa das autoridades é a de que a maior parte do estrago causado pelo Tauktae fique concentrado em Gujarat e no estado vizinho de Maharashtra. Para tentar evitar uma tragédia humanitária, as autoridades locais ordenaram a evacuação de dezenas de milhares de pessoas e o fechamento de portos e aeroportos. O ciclone aterrissou em Gujarat na noite desta segunda no horário local (início da tarde no Brasil), imediatamente causando quedas de energia em toda a região.

O Departamento Meteorológico Indiano classificou o fenômeno como de “severidade extrema”, com ventos de quase 210 km/h —semelhante, portanto, a um furacão de categoria 3.

Assim, esse deve ser o ciclone mais forte a atingir Gujarat desde 1998, quando 4.000 pessoas foram mortas durante a passagem de um fenômeno semelhante. De acordo com o ministro-chefe (cargo equivalente ao de governador) do estado, Vijay Rupani, a expectativa é a de que o Tauktae demore até quatro horas para se estabelecer em terra e, após esse período, a tendência é que comece a perder força.

As autoridades locais também estão preocupadas com o efeito que o ciclone pode ter nos leões asiáticos, espécie em extinção encontrada apenas em uma região de Gujarat que deve ser atingida intensamente.

"Existem cerca de 40 leões em alguns trechos na costa de Saurashtra, e nós estamos monitorando. Alguns leões já se mudaram para áreas mais altas. Estamos mantendo os dedos cruzados e rezando para que os leões estejam seguros", afirmou Shyamal Tikadar, que chefia a equipe de conservação do estado.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.