Descrição de chapéu laranjas do PSL

Mariliz e Benett me encheram de orgulho, diz leitor

Leitor parabeniza Djamila Ribeiro

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Leite Moça

Na charge, escrito no alto "Rejeição Recorde", em alusão ao índice mais alto de rejeição alcançado por Jair Bolsonaro, segundo Datafolha de 17 de março de 2021. Do lado esquerdo há uma lata de leite condensado "Moça", com o rótulo em branco. A mulher do rótulo caminha para a direita, falando "Fora Bolsonaro"
Charge de Benett publicada em 17/3 - Benett

Dois momentos da Folha desta quinta (18/3) me encheram de orgulho: a coluna de Mariliz Pereira Jorge com os adjetivos aplicáveis a Bolsonaro e a a charge de Benett.
Luiz Carlos Alonso (Santos, SP)


Ironia
Parabéns a Renato Terra pelo texto "Bolsonaro não é genocida" (Ilustrada, 19/3). Entretanto muitos poderão confundir sua ironia com a nossa triste realidade.
Teresa Fernandez (Belo Horizonte, MG)


Golpe de 1964
Comemorar aquele passado sombrio e aterrador, que deixou atrás de si mortos e torturados, é mais que uma afronta à sociedade brasileira. Contudo é natural que essa gente queira festejar aquilo, visto que não foram punidos e acham natural recordar uma cena grotesca que envergonha, mutila e maltrata a memória das vítimas ("Governo é autorizado a celebrar golpe como marco da democracia", Poder, 19/3).
Wanderley Wasconcelos (Barra do Garças, MT)

0
Charge de Laerte de out.2020 sobre plebiscito no Chile que decidiu acabar com a Constituição da época da ditadura - Laerte

Nascidos salvos
Maravilhoso o texto "Romantizar quem não nasceu salvo é violência" (Ilustrada, 19/3), de Djamila Ribeiro. Suscita uma profunda reflexão.
Albino Bonomi (Ribeirão Preto, SP)


Avaliação pericial
Alguns psiquiatras têm se posicionado para inferir uma doença mental do atual presidente. Trata-se de convicção pessoal legítima, mas torná-la pública é antiético e imprudente. Na dúvida sobre a saúde mental e a capacidade para o exercício da função, o rito legal prevê a avaliação por um perito isento. A psiquiatria já foi usada antes na história com fins políticos, à direita e à esquerda. Incorrer novamente nesse erro faz com que a especialidade perca a credibilidade que precisou de décadas para ganhar.
Gustavo Bonini Castellana, psiquiatra (São Paulo, SP)


Estratégia
"O caos vem aí e vai tirar o pessoal de casa". Na boca de Bolsonaro, essa frase revela a estratégia do presidente para um golpe, via decretação de Estado de Sítio e dissolução do Congresso. Desde que foi eleito, esse presidente vem sistematicamente fomentando uma revolta popular que justificasse a intervenção militar. A pandemia caiu como uma luva para seus planos.
Luiz Oliveira (São Paulo, SP)


Parlamentarismo
Entre muitas outras coisas, aqui no Brasil a pandemia está mostrando o quanto o presidencialismo pode ser inapropriado para a governança. Num sistema parlamentarista, em qualquer lugar do mundo, um chefe do Executivo com o desempenho do presidente Bolsonaro há muito teria sido dispensado. Vamos, parlamentaristas brasileiros, vamos trabalhar.
Euclides Rossignoli (Ourinhos, SP)


Major Olímpio
Vi agora há pouco um vídeo no Facebook onde os petralhas comemoram a morte do senador Major Olímpio. É de dar nojo. Pessoas que tivessem o mínimo de decência não fariam isso em hipótese nenhuma.
Claudir José Mandelli (Tupã, SP)


Falta
Gostaria de dizer ao senhor presidente que não é só a Covid-19 que está sobrecarregando as UTIs ("'Parece que só morre de Covid', diz Bolsonaro ao questionar ocupação de UTIs no Brasil", Saúde, 18/3). Com certeza foi a falta de atitudes do governo federal quanto à compra de vacinas e insumos e a um planejamento sério e profissional para enfrentar a pandemia que nos levou a este caos. Falta tudo! Principalmente competência ao Executivo, liderado por Bolsonaro.
Francisco Alberto Coutinho (São José dos Campos, SP)


Direita
"Imprensa dá pouca atenção para a direita, dizem debatedores" (Poder, 18/3). Na última vez que a imprensa deu voz à direita, deu no que deu. A direita, na ânsia absoluta de chegar ao poder, se abraçou ao execrável, mesmo sabendo, tanto quanto a esquerda, o insano que ele é! Quais temas vocês ainda querem apresentar para a sociedade? A reeleição do genocida?
Ricardo Cândido de Araújo (Taboão da Serra, SP)

Engano. A imprensa brasileira dá muita atenção aos temas da direita conservadora. Temos diariamente nossa imprensa debatendo e combatendo as loucas pautas conservadoras que Bolsonaro tenta implantar desde que assumiu seu desgoverno. Há um debate e uma luta constante sobre e contra elas.
Edson Carlos Morotti (Curitiba, PR)


Cecília Meireles
Que delícia ler textos assim, suaves ("Cecília Meireles refletiu sobre carros e aparências em crônicas publicadas na Folha em 1964", Folha, 100, 18/3). Grande Cecília.
Fernanda Guardiano (Votuporanga, SP)

A poeta brasileira Cecília Meireles ao embercar com destino a Denver, no Colorado, EUA, onde fará uma conderência sobre "o papel d
A poeta brasileira Cecília Meireles embarca para os EUA, em 1959 - Folhapress


Umas das maiores poetas/escritoras do Brasil, Cecília Meireles "voltou" a ser colunista da Folha de S.Paulo. Adorei o artigo de 1964 publicado nesta quinta. Gostei da iniciativa. Seria ótimo que a Folha publicasse textos de Carlos Heitor Cony, Nelson Rodrigues e Plínio Marcos, além do jornalista Clóvis Rossi.
Honório Rocha de Alencar (Arujá, SP)

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.