Descrição de chapéu Café da Manhã

Qual é a eficácia das nossas máscaras contra a Covid-19? Ouça podcast

Novas variantes do vírus levaram países europeus a banir máscaras de tecido, mas OMS segue recomendando seu uso

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Com o surgimento de novas variantes do Sars-Cov-2 que podem ser mais contagiosas do que a original, o debate sobre que máscara é a mais eficaz na proteção contra o vírus voltou à tona.

Países como França e Áustria, por exemplo, recomendam o banimento das máscaras de pano e pedem que elas sejam feitas com materiais mais resistentes. A OMS (Organização Mundial da Saúde), por sua vez, continua orientando que máscaras de tecido podem ser usadas por todas as pessoas com menos de 60 anos que não tenham problemas de saúde específicos.

O episódio desta segunda (8) do Café da Manhã trata das diferenças e da eficácia desse equipamento de proteção. O pesquisador Vitor Mori, doutor em engenharia biomédica e integrante do Observatório Covid-19 Brasil, explica quais máscaras deveríamos usar e por quê.

O programa de áudio é publicado no Spotify, serviço de streaming parceiro da Folha na iniciativa e que é especializado em música, podcast e vídeo. É possível ouvir o episódio clicando abaixo. Para acessar no aplicativo basta se cadastrar gratuitamente.

Ouça o episódio:

O Café da Manhã é publicado de segunda a sexta-feira, sempre no começo do dia. O episódio é apresentado pelos jornalistas Maurício Meireles e Magê Flores, com produção de Bianka Vieira, Jéssica Maes, Laila Mouallem, Natália Silva e Victor Lacombe. A edição de som é de Natália Silva, Laila Mouallem e Thomé Granemann.

Imagem de capa do podcast Café da Manhã, com o nome do programa escrito sobre vários recortes de jornais. Logos de de Spotify e Folha de S.Paulo podem ser vistas nos cantos
Podcast Café da Manhã - Reprodução
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.