Descrição de chapéu Michel Temer

Temer diz que seu governo pode ter sido o melhor que o Brasil conheceu

O presidente ainda afirmou que há uma possibilidade de a Previdência ser votada até novembro

O presidente Temer durante evento em São Paulo
O presidente Temer durante evento em São Paulo - Leonardo Benassatto /Reuters
Taís Hirata
São Paulo

O presidente Michel Temer afirmou que, com toda a modéstia de lado, em suas palavras, o seu governo pode ter sido o melhor que o Brasil conheceu nos últimos anos.

Em um discurso de 52 minutos, feito nesta terça-feira (13), em evento no centro de São Paulo, o presidente elencou reformas feitas em sua gestão e defendeu medidas de seu governo nas mais diversas áreas —desde o teto nos gastos públicos até a conclusão da transposição do rio São Francisco, passando pelo acordo em negociação com a União Europeia e até a intenção de ampliar as reservas marinhas do país.

“Em todos os setores em que coloquei os ministros, tudo deu certo”, disse ele.

O presidente não falou, porém, sobre as investigações das quais tem sido alvo e que levaram à quebra do seu sigilo bancário na última semana. 


Em relação à reforma da Previdência, Temer ainda afirmou que não é improvável que até setembro a intervenção no Rio de Janeiro possa terminar, e a reforma possa ser votada até novembro.

Caso isso não ocorra, ele disse que certamente a votação ficará para o próximo governo. "A reforma da Previdência saiu da pauta legislativa, mas não saiu da pauta política. Qualquer candidato à Presidência terá que dizer se é a favor ou contra."

O presidente disse ainda que sofreu uma campanha brutal em relação à reforma por parte de setores privilegiados, segundo ele. "Eu denuncio, eu acuso [esses setores]. O país perdeu a ideia de liturgia, de autoridade, de uma certa hierarquia", disse, em relação aos opositores da proposta.

Ele ainda destacou a intenção de realizar uma simplificação tributária até o fim deste ano.

Ao fim do evento, o presidente não falou com a imprensa.

REFIS

O presidente ainda afirmou que o Planalto deverá apresentar uma solução para derrubar o veto ao refis das micro e pequenas empresas do Simples Nacional.

O veto havia sido dado por ele mesmo, no início deste ano, sob a justificativa de que a medida violaria a Lei de Responsabilidade Fiscal.

À época, o Palácio do Planalto havia afirmado que a iniciativa não apresentou um estudo de impacto nas contas públicas e não incluiu previsão de medidas compensatórias.

"Temos uma solução que será levada para que o poder Executivo não sofra uma eventual acusação de crime de responsabilidade. O governo apoia a queda do veto e agora nós resolvemos esse assunto", disse Temer, nesta terça. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.