Descrição de chapéu Eleições 2018

Bolsonaro prevalece em cidades com mais qualidade de vida

Candidato ganhou 58% dos votos nas cidades de maior IDH e 18% nas mais pobres; Haddad teve padrão inverso

São Paulo

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) abriu boa vantagem de votos neste primeiro turno em municípios com melhores indicadores sociais, enquanto o petista Fernando Haddad teve maior base nas cidades mais pobres.

A Folha analisou o padrão de votação dos primeiros colocados considerando duas variáveis: o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) dos municípios e o percentual da população que recebe Bolsa Família em cada cidade. 

Fernando Haddad, do PT, e Jair Bolsonaro, candidato a presidente pelo PSL
Fernando Haddad, do PT, e Jair Bolsonaro, candidato a presidente pelo PSL - Nelson Almeida - 9.ago.2018/AFP

O levantamento aponta que os votos de Bolsonaro estiveram mais relacionados a municípios desenvolvidos, e os de Haddad, às cidades menos desenvolvidas. A análise foi feita com 95% dos votos apurados, e, por problemas técnicos, exclui o Acre.

Nos 25% municípios de IDH mais alto, Bolsonaro teve média de 58% dos votos. Nos 25% mais pobres, obteve 18%.

Já Haddad ficou com 66% nas cidades mais pobres e 20% nas mais ricas.

O padrão de votos foi semelhante nas diferentes regiões do país. Ou seja, mesmo no Nordeste, onde Bolsonaro teve votação proporcionalmente menor, teve desempenho melhor nos municípios mais ricos do que nos mais pobres.

Em Pernambuco, por exemplo, o capitão reformado obteve 14% dos votos nos municípios com menor desenvolvimento humano, e o dobro disso nos mais ricos.

O mesmo ocorre no Maranhão: Bolsonaro teve em média 27% dos votos nas cidades com IDH mais elevado e 13% nas menos desenvolvidas. 

Haddad, mesmo tendo menos votos no Sudeste como um todo, foi melhor nos municípios com menor IDH. 

Em Santa Catarina, obteve 15% nas cidades mais ricas e chegou a 33% nas mais pobres. Bolsonaro teve na região média de 67% nas cidades mais ricas e 50% nas mais pobres. 

Por outro lado, em São Paulo, onde Haddad teve cerca de um terço dos votos de Bolsonaro, o petista ganhou 22% dos votos nas cidades mais pobres e apenas 13% nas ricas.

Ainda que tenha tido desempenho inferior ao rival nos municípios de baixo IDH, Bolsonaro foi melhor nessas cidades do que o tucano Aécio Neves no primeiro turno da última eleição presidencial.

Em 2014, Aécio também enfrentou um candidato do PT, a ex-presidente Dilma Rousseff, que buscava a reeleição. 

Naquele primeiro turno, ele teve 15,7% dos votos nas 25% cidades de menor desenvolvimento. Agora, Bolsonaro recebeu 18%.

O IDH é um dos melhores indicadores da condição socioeconômica de um município, por considerar diferentes variáveis e estar disponível para todo o país. 

Há, porém, um problema metodológico: os dados são de 2010. Para atenuá-lo, a Folha avaliou também o padrão de votação segundo a proporção de pessoas que recebem Bolsa Família (quanto mais pessoas no programa, mais carente o município).

O cadastro do Bolsa Família é atualizado anualmente.

Os resultados utilizando essa base tiveram alta correlação com os resultados vistos a partir do IDH municipal.

Ana Estela de Sousa Pinto , Daniel Mariani , Marina Merlo e Fábio Takahashi
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.