Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Do hospital, Bolsonaro reassume a Presidência após passar por cirurgia

Presidente trocou mensagens com o vice, general Mourão, na manhã desta quarta (30)

São Paulo

Depois de passar dois dias afastado do cargo para ser submetido a uma cirurgia, Jair Bolsonaro reassumiu a Presidência da República na manhã desta quarta-feira (30).

Do hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde está internado desde domingo (27), trocou mensagens com o vice, general Hamilton Mourão, pela manhã.

À Folha Mourão disse ter escrito ao presidente para relatar os fatos ocorridos nos últimos dias. "Ele não pode ficar falando", disse.

Internado para cirurgia,  Jair Bolsonaro grava vídeo no hospital e agradece orações
Internado para cirurgia, Jair Bolsonaro grava vídeo no hospital e agradece orações - Reprodução/ Instagram

Mourão assumiu o cargo na manhã de segunda (28), quando Bolsonaro foi submetido a uma cirurgia para reconstrução do trânsito intestinal, num procedimento que durou 7 horas. 

No procedimento, os médicos retiraram a bolsa de colostomia que foi colocada no presidente desde setembro, quando ele foi alvo de uma facada. 

No início da tarde, o presidente usou as redes sociais para falar a retomada de atividades.

“Reassumo as funções da Presidência da República. Entre exercícios e fisioterapia, os trabalhos que já vinham sendo tocados pela nossa equipe seguem com afinco. O apoio que estou recebendo será fundamental para minha total recuperação. Muito obrigado! Um forte abraço a todos!”, escreveu no Twitter.

Bolsonaro permanece internado na UTI (unidade de terapia intensiva), onde deve permanecer por mais oito dias. Mesmo com autorização de visitas, assessores esperam que só a partir de quinta (31) ele passe a receber pessoas.

Sua agenda desta quarta foi divulgada "sem compromissos oficiais".

Por enquanto, o presidente está acompanhado apenas de familiares, como a primeira-dama Michelle e um de seus filhos, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ).

Ele teve contato ainda com parte de seu staff do Planalto, como chefe de gabinete e assessores de imprensa, além do porta-voz, Otávio Rêgo Barros. 

Ministros em Brasília aguardam novos boletins médicos para definir se vêm a São Paulo na quinta despachar com o presidente. 

Se houver uma sinalização de que Bolsonaro tem condições de receber auxiliares, Paulo Guedes (Economia) e Onyx Lorenzoni (Casa Civil) devem trazer ao presidente detalhes finais da reforma da Previdência.

Na terça (29), a equipe econômica afirmou que a intenção do governo é de apresentar a proposta de mudanças na aposentadoria já na próxima semana ao Congresso. 

As atividades do Legislativo serão retomadas na sexta-feira (1o), quando deputados e senadores eleitos em outubro tomam posse e elegem os comandos da Câmara e do Senado.  

Onyx deve definir com Bolsonaro ainda a mensagem presidencial que será lida na abertura da sessão do Congresso, na sexta.

A expectativa é de que o presidente reafirme aos parlamentares o discurso que vem fazendo desde a campanha: que quer criar uma nova relação entre o Legislativo e o Executivo, além de listar pautas prioritárias, como a agenda de reformas.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.