Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

'Vou me arrepender que fiz xixi aos cinco anos na cama?', diz Bolsonaro sobre polêmicas na carreira

Em café com jornalistas, presidente comparou episódio da infância com declarações controversas do passado

Sérgio Dávila
Brasília

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (5) que já deu muitas declarações polêmicas em 28 anos de carreira política e que não tem como se arrepender delas. 

"Não posso [me arrepender]. Vou me arrepender que fiz xixi aos cinco anos na cama? Saiu, pô", disse, em um café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto. A Folha estava entre os convidados. 

O presidente Jair Bolsonaro fala durante café da manhã com jornalistas nesta sexta (5) no Palácio do Planalto
O presidente Jair Bolsonaro fala durante café da manhã com jornalistas nesta sexta (5) no Palácio do Planalto - Marcos Corrêa/Presidência da República

Um dos exemplos citados na conversa foi uma antiga declaração do presidente a favor do fechamento do Congresso.

Bolsonaro então lembrou que, durante a campanha, vídeos antigos dele foram divulgados e que não havia como se arrepender do que dissera.

Ao comentar os movimentos políticos que tem feito para dialogar com o Congresso, o presidente disse ainda ter dado muitas "caneladas".

Afirmou que a palavra "cargo" não foi usada nos encontros que teve com presidentes de partidos nesta quinta-feira (4) no Planalto.

As reuniões fizeram parte da estratégia de aproximação dele com os parlamentares em busca de apoio à reforma da Previdência.

Entre os políticos que o visitaram estava o presidente do PSDB, Geraldo Alckmin, que disputou a eleição presidencial vencida por Bolsonaro.

Segundo o presidente, durante o primeiro turno da campanha, Alckmin usou agulha de "tricô e crochê" contra ele.

"As reuniões acabaram com quase beijo e abraço", disse o presidente sobre os encontros no Planalto.

Bolsonaro admitiu ainda que o governo não tem "vivência política" e que, por isso, tem sofrido "caneladas" de parlamentares.

O ministro Sérgio Moro (Justiça) estava presente ao café da manhã no Planalto com os jornalistas. 

Questionado se teria vontade de ser presidente, Moro respondeu que era algo para "louco". 

Bolsonaro então afirmou: "Alguém me lembrou que antes da campanha eu falei que hoje estaria aqui ou na praia. Me dei mal, pode pegar, Moro".

Participaram do encontro com o presidente: Sérgio Dávila (Folha de S.Paulo), João Caminoto (O Estado de S. Paulo), Alan Gripp e Paulo Celso Pereira (O Globo), Vera Brandimarte (Valor Econômico), Aruana Brianezi (A Crítica), Linda Bezerra (Correio da Bahia), Carlos Marcelo Carvalho (Estado de Minas), Leusa Santos (Folha de Pernambuco), Leonardo Mendes Júnior (Gazeta do Povo), Gerson Camarotti e Natuza Nery (Globonews), Luciana Gimenez (Rede TV), Eduardo Ribeiro (TV Record) e Carlos Etchichury (Zero Hora).

Colaborou Gustavo Uribe

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.