Witzel inclui Harvard em currículo sem nunca ter estudado na universidade

Governador do Rio nega intenção de se vangloriar e diz que estudo nos EUA era uma intenção

Rio de Janeiro

O ex-juiz federal e atual governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), adicionou ao currículo Lattes, plataforma acadêmica, um período na Universidade Harvard, nos Estados Unidos, uma das mais reconhecidas do mundo. No entanto, ele nunca foi aluno da faculdade norte-americana.

A informação foi revelada nesta quarta-feira (22) pelo jornal O Globo.

A bolsa-sanduíche, que ele menciona no currículo, proporciona que o aluno de doutorado complete parte do curso em uma universidade parceira no exterior.

Witzel é estudante de doutorado no departamento de Ciência Política da UFF (Universidade Federal Fluminense), com um projeto sobre a judicialização da política.

Ao escrever sobre esta formação, que ele diz estar em andamento, Witzel acrescentou: "com período sanduíche em Harvard University (orientador: Mark Tushnet)".

Tushnet é um reconhecido estudioso do direito nos Estados Unidos, com quem o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso já fez uma apresentação sobre constitucionalismo e democracia. 

A assessoria de imprensa do governador nega que ele tenha dado a informação para se vangloriar e argumenta que Witzel incluiu em seu currículo que o doutorado estava em andamento, e não concluído.

Segundo a assessoria, o ex-juiz adicionou o período sanduíche em Harvard como uma intenção para ser cumprida durante os estudos. Essa edição teria sido feita em 2015, ano em que o agora governador ingressou na UFF.

Em meio à campanha eleitoral de 2018, no entanto, Witzel não teria conseguido encaixar o período sanduíche. Ele pretende apresentar sua tese até agosto para receber o título de doutor pela UFF. 

"Em seu projeto inicial de doutorado, ele incluiu a possibilidade de aprofundar os estudos em Harvard, projeto interrompido pela campanha ao governo do Estado, em 2018, quando se encerram as inscrições para a universidade norte-americana", diz nota da assessoria.

"Quando o governador iniciou o doutorado atuava como juiz federal e não tinha como prever que o projeto de estudar em Harvard poderia ser adiado em razão da eleição."

Para obter a bolsa-sanduíche, o aluno precisa passar por uma seleção. Periodicamente, as universidades divulgam os editais para que os alunos se inscrevam. A assessoria de imprensa da UFF confirmou que Witzel não se candidatou ao programa.

Na semana passada, a química e professora Joana D'Arc Félix passou por contestação semelhante. Ela também citou em seu currículo acadêmico que estudou em Harvard, o que acabou desmentido. Posteriormente, pediu desculpas. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.