Bolsonaro defende carona a parentes em voo da FAB: Vou negar helicóptero e mandar de carro?

Helicóptero foi usado para transportar parentes ao casamento de seu filho, Eduardo Bolsonaro

Diego Garcia
Rio de Janeiro

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou neste sábado (27) que não vê nada de errado em ter usado helicóptero da Presidência para transportar parentes ao casamento de seu filho Eduardo Bolsonaro, em maio. 

“Eu vou responder. Eu fui a casamento do meu filho. A minha família ia comigo. Eu vou negar o helicóptero a ir para lá e mandar ir de carro? Não gastei nada do que já ia gastar”.

Jair Bolsonaro em cerimônia de brevetação de novos paraquedistas, no 26° Batalhão de Infantaria Paraquedista, na Vila Militar, zona oeste do Rio de Janeiro
Jair Bolsonaro em cerimônia de brevetação de novos paraquedistas, no 26° Batalhão de Infantaria Paraquedista, na Vila Militar, zona oeste do Rio de Janeiro - Marcos Correa/PR

Antes da cerimônia, o presidente fez gestos de indignação dirigidos à imprensa e reclamou: “Só fazem pergunta esquisita. Irã, OMC, Mercosul, futuro do Brasil, Forças Armadas. Ontem, lá [em Goiânia]. Uma pergunta que pelo amor de Deus...”, disse Bolsonaro.

O presidente já havia se irritado nesta sexta-feira (26) com pergunta sobre uso do helicóptero da FAB (Força Aérea Brasileira). Demonstrando irritação, Bolsonaro encerrou a entrevista depois de chamar de "idiota" pergunta feita pela Folha.

"Com licença, estou numa solenidade militar, tem familiares meus aqui, eu prefiro vê-los do que responder uma pergunta idiota para você. Tá respondido? Próxima pergunta", disse, interrompendo a pergunta antes mesmo de sua conclusão.

O presidente não quis dizer se via incompatibilidade no uso ou se estava dentro da aeronave. “Toda vez que eu viajo com o helicóptero, vão dois helicópteros comigo. Por que vocês não veem meu gasto mensal com o cartão corporativo?”, questionou Bolsonaro.

“A minha preocupação é com o Brasil. Se eu errar, assumo meu erro e arco com as consequências. Até o momento, pelo que eu vejo, nada de errado aconteceu”, continuou o presidente.

Jair Bolsonaro compareceu à cerimônia de brevetação de novos paraquedistas, no 26° Batalhão de Infantaria Paraquedista, na Vila Militar, zona oeste do Rio de Janeiro.

O governo alegou "razões de segurança" para autorizar o voo no dia do casamento do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Vídeos da ocasião foram divulgados em redes sociais por um sobrinho do presidente, Osvaldo Campos Bolsonaro. A informação foi revelada nesta sexta pelo site G1.

De carro, o trajeto tem cerca de 35 km e levaria 35 minutos. Segundo o site, foram 14 minutos de voo na aeronave da FAB.

Nas imagens que foram publicadas, é possível ver que o grupo de aproximadamente dez pessoas chegou de van à pista de embarque. No veículo estavam irmãs de Bolsonaro e o deputado federal Helio Lopes (PSL-RJ), o Helio Negão, amigo do presidente.

Em nota, o GSI (Gabinete de Segurança Institucional) informou que, “por razões de segurança, o coordenador de segurança de área neste evento, exercendo competências contidas no decreto nº 4.332, de 12 de agosto de 2002, decidiu que o presidente da República e familiares fossem transportados em helicópteros da Força Aérea Brasileira".

O vídeo foi apagado do perfil de Osvaldo Bolsonaro nesta sexta, depois que o episódio se tornou público.

Líder da oposição ao governo na Câmara dos Deputados, Alessandro Molon (PSB-RJ) cobrou investigação da PGR (Procuradoria-Geral da República) sobre o caso.

"Se o helicóptero presidencial foi usado irregularmente, para levar parentes do presidente para o casamento de um de seus filhos, a ordem deve ter partido do Gabinete de Segurança Institucional ou da Presidência da República", afirmou em uma rede social.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da oposição no Senado, também criticou a carona, disse que entrará com processo contra o governo e prometeu acionar o Ministério Público Federal.

"Vamos pedir na Justiça ressarcimento aos cofres públicos, através de uma ação popular, do uso indevido do helicóptero da FAB para transportar parentes de Bolsonaro ao casamento do filho 03", afirmou o parlamentar.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.