Em sabatina da Folha, Professor Emerson diz que irá revisar contratos e reduzir comissionados em Jaboticabal

Candidato pelo Patriota disputa pela terceira vez a prefeitura da cidade do interior de São Paulo

Ribeirão Preto

Candidato à Prefeitura de Jaboticabal, Professor Emerson (Patriota), 41, diz que, se eleito, irá revisar contratos e aluguéis e reduzir o total de comissionados na cidade. Essa é a fórmula para conseguir investir na administração de Jaboticabal nos primeiros meses de governo, segundo ele.

Emerson foi o segundo participante da sabatina da Folha com os candidatos à prefeitura, iniciada nesta segunda-feira (19). Vereador de 2009 a 2012, ele está em sua terceira tentativa de governar a cidade.

Jaboticabal (a 342 km de São Paulo), com 77,6 mil habitantes, tem cobertura completa da Folha durante as eleições municipais deste ano.

O município foi escolhido por ser uma cidade com forte peso educacional e destaque econômico, embora sem horário eleitoral na TV e com atuação restrita da imprensa profissional.

“Reorganizar as finanças da prefeitura, hoje a prefeitura gasta muito com aluguéis em prédios, sendo que tem prédios próprios e dá para fazer algumas acomodações, ou melhor, várias acomodações para esses departamentos que estão em espaços privados”, disse.

Retrato do Professor Emerson (Patriota)
Retrato do Professor Emerson (Patriota) - Eduardo Anizelli/Folhapress

Conforme o candidato, outras medidas que tomará nas primeiras semanas, se eleito, serão aproveitar o seu vice, Nelsinho Gimenez (Patriota), como secretário, para economizar recursos e até mesmo usar um secretário como titular de duas pastas.

Ainda segundo ele, será necessário revisar contratos, inclusive com empresas terceirizadas, e também cortar gastos com publicidade.

Emerson disse na sabatina que a economia proveniente com a redução de gastos previstos nas medidas iniciais de uma eventual gestão poderão resultar numa economia entre R$ 2,5 milhões e R$ 3 milhões mensais.

De acordo com o candidato, a economia permitirá investir no setor de água (a cidade tem enfrentado problemas), mas, se eleito, também buscará recursos fora por meio do apoio de parlamentares ligados aos partidos de sua coligação.

As metas para o setor são construir um poço artesiano e recuperar nascentes no município, que tem como principal fonte de captação de água o Córrego Rico (cerca de 70% do total). Ele descarta privatizar o Saaej (serviço de água e esgoto da cidade).

O ex-prefeito José Giácomo Baccarin (PT), que governou Jaboticabal de 1989 a 1992, será o entrevistado desta quarta-feira (21).

A sabatina de Marcos Bolsonaro (PSL), estreante na política, será publicada na quinta (22). O encerramento será com Professor João (DEM), também ex-vereador, na sexta-feira (23). As sabatinas irão ar sempre às 9h.

Os cinco candidatos serão sabatinados pelos jornalistas Eduardo Scolese, editor de Poder da Folha, e Marcelo Toledo, correspondente da Folha em Ribeirão Preto, vizinha a Jaboticabal.

Além dos ingredientes políticos colocados na disputa deste ano, Jaboticabal foi escolhida pela Folha por também se destacar economicamente na agricultura e nas indústrias de alimentação e cerâmica.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.