Descrição de chapéu jornalismo

Laerte vence Prêmio Vladimir Herzog por charge sobre Paraisópolis publicada na Folha

'Infernópolis' retrata ação da polícia que deixou nove mortes em comunidade de São Paulo

São Paulo

A cartunista Laerte, 69, venceu o prêmio de melhor arte do 42º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos com a charge "Infernópolis".

Publicada na Primeira Página da Folha em 3 de dezembro de 2019, a charge faz um retrato da ação policial em um baile funk que terminou com nove mortos em Paraisópolis, em São Paulo. A criação mostra a comunidade cercada pela polícia.

Charge Laerte publicada na Folha no dia 3 de dezembro de 2019, título Infernópolis, traz um labirinto redondo com várias entradas. Em todas elas há policiais segurando cassetetes ou bombas de efeitos moral.Encurralados nos corredores e no centro do labirinto, muitos tentam fugir com expressão de pavor. No meio do local diversas pessoas amontoadas
Charge 'Infernópolis', de Laerte, publicada na Primeira Página da Folha no dia 3 de dezembro de 2019 - Laerte

Neste ano, Laerte comemora 50 anos de carreira e foi também uma das homenageadas da edição do Prêmio Vladimir Herzog ao lado do jornalista Luiz Gama (1830-1882) e da filósofa Sueli Carneiro.

Criadora de personagens icônicos como Piratas do Tietê, Hugo Baracchini, Deus e Overman, Laerte publica charges na Folha desde 2014 e quadrinhos regularmente desde os anos 1980, entre eles, as tirinhas de "Los 3 Amigos" e do personagem Hugo Barachhini.

Premiada, a cartunista venceu o 1º Salão de Humor de Piracicaba, de 1973, quando passou a expor seu engajamento político. Laerte também já levou quatro estatuetas na mesma edição do HQ Mix, o Oscar dos quadrinhos brasileiros, em 2008. Atualmente é comprometida com a causa LGBT e fundou a Abrat (Associação Brasileira de Transgêneros).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.