Descrição de chapéu Eleições 2020

David Almeida (Avante) é eleito prefeito de Manaus

Deputado estadual supera Amazonino Mendes, que tentava a quarta eleição municipal

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Manaus

O deputado estadual David Almeida (Avante), 51, foi eleito prefeito de Manaus. Com 100% das urnas apuradas, ele teve 51,27% dos votos válidos.

Almeida derrotou o ex-prefeito e ex-governador do Amazonas, Amazonino Mendes (Podemos), 81, o mais velho candidato nas capitais, que tentava a quarta eleição à prefeitura. Amazonino recebeu 48,73% dos votos.

Bacharel em direito formado pela Universidade Luterana de Manaus (Ulbra), Almeida foi deputado estadual por três mandatos consecutivos (2007-2018) e, em 2017, assumiu o cargo de governador interino do Amazonas, após a cassação da chapa do ex-governador José Melo (Pros).

homem de máscara faz campanha de rua em meio a multidão
David Almeida (Avante) em campanha no segundo turno pela Prefeitura de Manaus - David Almeida no Facebook

Nascido em Manaus, Almeida ingressou na vida pública em 2004, ano em que se candidatou ao cargo de vereador de Manaus —e não foi eleito. De lá para cá ele passou por oito partidos, até assumir a presidência do Avante no Amazonas, em maio de 2019.

Em 2016 foi eleito deputado estadual pela primeira de três vezes consecutivas. Na primeira gestão, pelo PAN, na segunda pelo PMN e, na terceira, pelo PSD. Em fevereiro de 2017 assumiu a presidência da ALE-AM (Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas) e, de maio a outubro, foi o governador interino, até a realização das últimas eleições estaduais, que terminaram com a vitória de Amazonino Mendes.

Depois da passagem pelo governo do Amazonas, Almeida trocou o PSD pelo PSB e se candidatou a governador em 2018, mas não foi eleito.

Aos 81 anos, o candidato derrotado, Amazonino Mendes (Podemos), já foi eleito governador do Amazonas quatro vezes e foi prefeito de Manaus por três vezes.

Natural de Eirunepé, município do interior do Amazonas, ele é formado em direito pela UFAM (Universidade Federal do Amazonas), mas estreou na vida pública como prefeito de Manaus, em 1983, apadrinhado por Gilberto Mestrinho, político tradicional do Amazonas.

Em 1986, foi eleito pela primeira vez governador do Amazonas e, em 1990, foi eleito senador pelo Amazonas, mas cumpriu apenas dois anos de mandato, pois em 1993 assumiu a prefeitura de Manaus pela segunda vez. Mais uma vez, Amazonino cumpriu apenas dois anos do mandato, pois assumiu o governo do Amazonas, pela segunda vez, em 1994, sendo reeleito em 1998.

Em 2004 perdeu a disputa à prefeitura de Manaus para Serafim Corrêa (PSB) e, em 2006, outra derrota: desta vez para Eduardo Braga (MDB), que venceu a disputa pelo governo do estado.

Amazonino voltou a concorrer à prefeitura de Manaus em 2008 e foi eleito para o terceiro mandato. Em 2012, abdicou de concorrer à reeleição e, em 2017, foi eleito para a quarta gestão como governador do Amazonas, após a cassação do ex-governador José Melo. Tentou a reeleição em 2018, mas foi derrotado no segundo turno pelo atual governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC).

No primeiro turno das eleições deste ano, Amazonino teve 23,91% dos votos, contra 22,36% de David Almeida (Avante), uma diferença de pouco mais de 15 mil votos.

De acordo com o TRE-AM, Manaus concentra mais da metade dos eleitores do Amazonas: são 1,3 milhão dos 2,5 milhões de eleitores concentrados na capital, que em 2018 garantiu a vitória de Jair Bolsonaro (sem partido) no estado.

Isso porque Fernando Haddad (PT) teve maioria dos votos em 60 dos 62 municípios do Amazonas, mas perdeu em todas as zonas eleitorais de Manaus —além do município de Apuí, conhecido por ser campeão de desmatamento no estado.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.