Associação prevê 400 mil novas vagas temporárias no país no último trimestre

Fim de ano aquece contratos com data para acabar, mas oferta deve ser a menor em 5 anos

São Paulo

O final do ano costuma ser marcado pelo aumento de vagas –principalmente as temporárias nas áreas de varejo e serviços. A pandemia e a necessidade de distanciamento social, no entanto, alterou esse cenário.

"A projeção que temos hoje é que a contratação de temporários [de fim de ano] em 2020 vai ser a menor em cinco anos", diz Rodolpho Tobler, pesquisador do Ibre-FGV .

A Asserttem (Associação Brasileira do Trabalho Temporário) prevê geração de 400 mil vagas temporárias no último trimestre do ano no país. Em 2019, foram 436.795.

A crise afetou fortemente todos os setores e, apesar do início da retomada, alguns deles, como o de serviços, responsável por parcela das contratações de trabalhadores temporários típicos de fim de ano, demoram mais a reagir.

Tobler afirma que os setores com melhor recuperação foram o do comércio e o da indústria, impactados pelo auxílio emergencial. "Deu controle para que as pessoas conseguissem gastar de forma mais rápida", diz. "O setor de serviços demora a reagir porque ainda depende da presença física."

Suélia Luz, diretora regional da Asserttem (Associação Brasileira do Trabalho Temporário), afirma que, apesar da pandemia, as projeções de abertura de vagas para este ano são boas se o contexto for levado em conta.

Para ela, mesmo com um desempenho inferior em relação a anos anteriores, a reabertura e a retomada do comércio no fim do ano podem impactar positivamente na contratação de temporários, inclusive para compensar a mão de obra de funcionários demitidos no início da pandemia.

Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) mostram que, no Brasil, 181 mil vagas efetivas de vendedores de lojas e mercados foram fechadas desde março.

"Enquanto durar a insegurança econômica, acredito que o movimento na economia vai vir do trabalho temporário", afirma Luz.

Ela diz que os contratos temporários podem oferecer seguridade –tanto para o trabalhador, que preserva direitos como 13º e férias, quanto para o empregador, que não precisa de um planejamento financeiro tão robusto para apostar na contratação.

"A gente vive um cenário muito instável e nisso cabe o trabalho temporário. Gera renda temporariamente, mas gera", diz Luz.

No primeiro semestre, em meio à crise do emprego formal, o emprego temporário teve alta de 47% com relação ao mesmo período do ano anterior, alcançando 1 milhão de vagas abertas, segundo levantamento da Asserttem.

Embora não seja possível observar os dados apenas de empregados temporários no IBGE, Tobler aposta que a abertura de vagas nessa modalidade possa reduzir o desemprego no período de festas.

O emprego temporário, além de oferecer renda e direitos trabalhistas, pode ser uma porta de entrada para uma contratação efetiva.

"A expectativa para janeiro é que pelo menos 20% dos trabalhadores sejam efetivados", diz Luz. Ela acredita que a redução de equipes do varejo no início da pandemia aliada à retomada do comércio e aquecimento da economia resultará na a efetivação de temporários de fim do ano.

Tobler é menos otimista. Para ele, datas como Black Friday e Natal ainda têm expectativas positivas de consumo –o que pode alavancar a contratação de temporários. A virada do ano e o fim do auxílio emergencial, no entanto, podem trazer impactos negativos. "O período de transição de 2020 para 2021 vai ser chave para compreender o processo como um todo", diz o pesquisador.

Como mostrar interesse e habilidades para tornar fixa a vaga temporária?

Suélia Luz, da Asserttem, dá dicas para garantir uma contratação ao final do período como temporário

  1. Por segurança, procure trabalhos apenas nas agências e empresas registradas na Secretaria do Trabalho

  2. Seja proativo: "Não fique esperando o tempo inteiro para fazer o for solicitado. Se está dentro do seu escopo, faça. Seja solícito, ofereça ajuda."

  3. Esteja disponível –quando algo for solicitado, faça: "Respeitando todos os requisitos legais, vale a pena fazer as horas extras se for necessário ou chegar um pouco mais cedo quando for preciso. Sempre respeitando as suas funções e dos outros."

  4. Saiba lidar com diversas tecnologias: "As empresas estão sempre investindo em melhorias. A tecnologia faz parte. Não pode ter medo das máquinas. Mesmo na operação, sempre precisa digitar um código. É importante saber fazer."

  5. Esteja inteirado dos acontecimentos: "Dependendo do cargo que vai ocupar, se não for uma pessoa que consegue desenvolver uma conversa, as chances de efetivação diminuem. Não precisa ser nenhum mestre em todos os assuntos, mas não pode ser uma pessoa alienada."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.