Descrição de chapéu Grande São Paulo

Santo André vira centro das atenções das construtoras no ABC

Cidade tem infraestrutura melhor que a de São Bernardo e preços mais baixos que os de São Caetano

Renan Marra
São Paulo

​Santo André reúne, ao mesmo tempo, uma infraestrutura melhor que a de São Bernardo e preços mais baixos que os de São Caetano. A fórmula fez com que a cidade virasse o centro das atenções das construtoras neste ano. 

Nos primeiros cinco meses de 2019 foram lançados 848 unidades no local, segundo dados do Secovi-SP. O montante é 25% superior ao de lançamentos no mesmo período em Osasco, que desde 2017 lidera em número de novos imóveis na Grande São Paulo.

Com empreendimentos de alto padrão, o Jardim é um dos bairros mais cobiçados de Santo André e já vive uma escassez de terrenos. 

Imagem de como será o apartamento do empreendimento ArqVittá, da construtora JSLC, em Vila Valparaíso, Santo André
Imagem de como será o apartamento do empreendimento ArqVittá, da construtora JSLC, em Vila Valparaíso, Santo André - Divulgação

A falta de áreas disponíveis levou incorporadoras a explorar regiões próximas, como Campestre, Vila Assunção e Vila Valparaíso.

Nesse último, a construtora e incorporadora JSLC lançou em março o residencial ArqVittá. Localizados a 21 km do centro de São Paulo, os estúdios de 41 metros quadrados devem ser entregues em 2021. 
Aproximadamente 70% das 24 unidades do empreendimento já foram vendidas, segundo o presidente da empresa, Leandro Camargo. 

“Estamos colados com São Paulo e, na capital, o preço do metro quadrado pode custar mais de 50% acima do que o de Santo André”, afirma Camargo. No município, o valor médio do metro quadrado de um lançamento sai por R$ 5.027, de acordo com o Secovi-SP. Em São Paulo, esse preço é de R$ 8.900. 

A recente valorização da Vila Valparaíso, segundo Camargo, se deve em parte à perspectiva do bairro receber uma das estações da linha de BRT (sigla em inglês para transporte rápido por ônibus), que vai conectar São Bernardo do Campo, Santo André e São Caetano do Sul às estações da linha 2-Verde do Metrô de São Paulo.

Segundo o governo estadual, a obra ficará pronta até dezembro de 2020.

A facilidade de deslocamento para São Paulo é crucial para a JSLC. No residencial ArqVittá, 60% dos compradores são da capital paulista. 

Apartamento decorado do empreendimento Sonata, da MBigucci, no Parque das Nações­ 
Apartamento decorado do empreendimento Sonata, da MBigucci, no Parque das Nações­  - Keiny Andrade/Folhapress

“Um morador de Santo André chega mais rápido a bairros da zona sul de São Paulo do que as pessoas que moram na zona norte da capital, por exemplo”, diz Camargo.

Outro polo de crescimento na cidade, a região da avenida Industrial, que passa pelo bairro de Campestre, se destaca pela oferta de grandes terrenos que antes eram ocupados por fábricas. 

Lançado em maio em um desses antigos galpões da avenida, o Up Life Jardim terá 120 unidades de 55 metros quadrados. Até agora, 95% delas já foram vendidas, segundo Paulo Pinheiro, diretor da imobiliária Lopes, que comercializa o empreendimento. 

“Se houvesse mais unidades no projeto, teriam sido comercializadas também. Os lançamentos em Santo André têm tido liquidez e absorção muito boa”, afirma Pinheiro.

“Hoje Santo André é a bola da vez. O potencial para novos empreendimentos é grande”, diz Milton Bigucci, presidente da construtora que leva seu nome, a MBigucci. 

A empresa pretende entregar em 2020 o edifício Sonata MBigucci, localizado no bairro Parque das Nações. 

A área está na lista das mais procuradas pelas incorporadoras pela proximidade com a avenida dos Estados, uma das principais vias de ligação entre São Paulo e o ABC. 

Segundo Bigucci, 85% das 98 unidades foram vendidas.

Para Marlon Fernandes, que é executivo-chefe da AM Fernandes, melhorias na infraestrutura local e maior oferta de serviços justificam o crescimento dos lançamentos. Ele cita como exemplo a chegada à cidade, nos últimos dois anos, de grandes redes de restaurantes, como o Coco Bambu e o Madero.

Fernandes afirma ainda que a demanda por lá estava reprimida por causa da crise. A construtora lançou em junho o empreendimento Taste, na Vila Gilda.

Arqvittá

Onde fica rua Rio Preto, 148, na Vila Valparaiso

Área útil 41 m²

Valor a partir de R$ 229 mil

Construtora JSLC

Sonata

Onde fica rua Alemanha, 21, Parque das Nações

Área útil 37 a 50 m²

Valor a partir de R$ 259 mil

Construtora MBigucci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.