Mustang apresenta seu primeiro jipe elétrico no Salão de Los Angeles

Evento também exibe novos sedãs da Nissan que chegam ao Brasil em 2020

Los Angeles

O Salão do Automóvel de Los Angeles fecha o calendário automotivo de 2019 com grande número de lançamentos. A presença das principais montadoras mostra a importância do evento centenário —a primeira edição foi realizada em 1907.

A principal novidade do grupo Ford é o Mustang Mach E, que une as duas características mais presentes em Los Angeles: é um utilitário esportivo com motorização elétrica.

O SUV é visto como um novo começo para a montadora, que passa por um processo de reestruturação global. 

Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul, afirma que há grandes chances de o modelo chegar ao Brasil, o que só deve ocorrer entre 2021 e 2022. O preço inicial deve ser próximo do cobrado pelo Mustang GT V8 vendido atualmente no país (R$ 316 mil).

Embora os detalhes da carroceria mantenham semelhanças com o esportivo clássico, o espaço interno e a altura da suspensão do Mach E são de jipe urbano. O porta-malas de 470 litros é complementado por um alçapão de 90 litros na parte frontal, já que não há um motor ali.

A Ford afirma que a autonomia se aproxima dos 500 quilômetros com carga completa. A potência chega a 465 cv na versão GT Performance.

Los Angeles exibe também modelos que vão estrear logo no Brasil. O novo Nissan Sentra, que será produzido no México, chega ao país em 2020. O motor 2.0 passará por atualização para gerar pouco mais de 150 cv. O carro exibido no evento tem pintura na cor laranja e teto preto, prova de que a tendência bicolor chegou aos carros conservadores.

Ao lado do Sentra está a nova geração do Nissan Versa, que também será vendido no país. A estratégia da Nissan será mantida: enquanto o primeiro sedã, mais sofisticado, vai disputar mercado com Honda Civic e Toyota Corolla, o segundo será posicionado na faixa de Volkswagen Virtus e Chevrolet Onix Plus.

A principal atração da sul-coreana Kia é o jipinho urbano Seltos. O modelo, que deve ser importado pela filial brasileira da marca, tem porte de Honda HR-V e Hyundai Creta. Seus destaques são o bom aproveitamento de espaço interno e a possibilidade de reclinar o banco traseiro.

Entre as marcas premium, o carro mais próximo do Brasil é o novo sedã médio Série 2 Grand Coupé, da BMW. A versão exibida no salão tem motor 2.0 turbo de 306 cv e tração nas quatro rodas. Há uma opção mais simples, com motor 1.5 (140 cv) turbinado.

O porta-malas tem capacidade para 430 litros de bagagem e há bom espaço para dois adultos no banco de trás.

As vendas do novo BMW no mercado nacional começam em 2020 e seus concorrentes diretos serão o Mercedes Classe A e o Audi A3. O preço deve começar em R$ 140 mil.

O Volkswagen ID. Space Vizzion se destaca entre os carros conceituais. Com carroceria perua, o protótipo tem painéis luminosos em vez de maçanetas. Basta tocá-los para que as portas se abram.

O protótipo Volks tem dois motores elétricos que, combinados, geram 360 cv de potência. A montadora alemã afirma que a autonomia pode chegar aos 560 quilômetros.

Modelos exclusivos para o mercado americano devem atrair o público para salão, que está aberto até domingo (1º). Um deles é o Lincoln Corsair, utilitário de luxo com 4,6 metros de comprimento —considerado compacto nos EUA.

Outro utilitário pensado para os Estados Unidos é a versão mais potente do Toyota RAV4, chamada Prime. A motorização híbrida (gasolina e eletricidade) rende 306 cv, de acordo com a montadora. 

O SUV é capaz de rodar até 63 quilômetros sem queimar gasolina, o que é suficiente para o uso urbano. A bateria tem garantia de dez anos ou 240 mil quilômetros.

O jornalista viajou a convite da Ford

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.