Malas fora do padrão serão barradas no embarque a partir desta quinta (25)

Medida começa a valer nos aeroportos de Campinas, Brasília, Curitiba e Natal

São Paulo

A partir desta quinta (25), as bagagens de mão que estiverem fora do padrão estabelecido pelas companhias aéreas serão barradas no embarque. A medida passa a valer, por enquanto, nos aeroportos  Viracopos (Campinas), Juscelino Kubitschek (Brasília), Afonso Pena (Curitiba) e Aluízio Alves (Natal).

Os quatro terminais foram os primeiros a contar com a nova fiscalização, implementada pela  Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), que teve início no último dia 10. Durante esse período, os passageiros estavam sendo apenas orientados sobre o novo procedimento.

A ação tem o objetivo de evitar que volumes com tamanho inadequado sejam embarcados como bagagem de mão, aquela que vai junto com o passageiro.

A associação adotou o mesmo padrão de malas de bordo usado pela Iata (Associação Internacional de Transporte Aéreo), que é de 55 cm de altura por 35 cm de largura e 25 cm de profundidade.

Homem de terno de costas carrega mala de rodinhas e outras pessoas passam em um corredor de aeroporto
Aeroporto de Congonhas, em São Paulo - Keiny Andrade/Folhapress

Os fiscais a serviço da Abear ficam posicionados antes da área restrita dos aeroportos —onde, para entrar, o passageiro precisa mostrar seu bilhete de voo. 

As malas que parecerem estar fora do padrão serão testadas em uma fôrma com as medidas adotadas pela Iata. O passageiro que tiver uma mala com tamanho maior do que o permitido será redirecionado ao balcão de checkin de sua companhia, onde terá que pagar pelo despacho do volume. ​

A nova medida está sendo aplicada por etapas. No último dia 17, quatro aeroportos começaram o período de orientação, que deve durar duas semanas: Confins (Belo Horizonte), Pinto Martins (Fortaleza), Guararapes-Gilberto Freyre (Recife) e Val-de-Cans-Júlio Cezar Ribeiro (Belém).

Nesta quarta (24), foram mais seis: Santa Genoveva (Goiânia), Salgado Filho (Porto Alegre), Congonhas (São Paulo), Galeão e Santos Dumont (Rio de Janeiro). 

Os últimos serão os aeroportos Luís Eduardo Magalhães (Salvador) e Guarulhos, que tiveram a implantação adiada para o dia 8 de maio.

Desde 2017, quando a resolução 400 da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) começou a valer, as companhias aéreas passaram a cobrar pelo despacho de bagagens. A única mala sempre gratuita para o passageiro é a de mão, que só pode ser uma por pessoa e precisa pesar até 10 quilos.

As quatro companhias aéreas brasileiras (Latam, Avianca, Azul e Gol) já adotaram essas medidas para suas bagagens de bordo, mas nem sempre foi assim. A Gol, por exemplo, antes pedia que as malas tivessem no máximo 40 cm de comprimento por 25 cm de largura e 55 cm de altura.

 

Quanto cada companhia cobra pelo despacho de mala

Caso seja necessário despachar a bagagem de mão que estiver fora do padrão, o serviço será cobrado. Veja quanto ele custa nos voos nacionais. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.