Painel

Editado por Guilherme Seto (interino), espaço traz notícias e bastidores da política. Com Danielle Brant

Salvar artigos

Recurso exclusivo para assinantes

assine ou faça login

Painel
Descrição de chapéu Coronavírus

Mato Grosso anuncia colapso e pede socorro, mas estados dizem que não têm vaga para ajudar

Secretário de Saúde de MT enviou mensagens a colegas, que responderam que não conseguem vagas para Covid-19

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

O secretário de Saúde de Mato Grosso anunciou a colegas que a rede hospitalar local entrou em colapso e pediu socorro a colegas de outros estados para atendimento a pacientes de Covid-19.

Gilberto Figueiredo disse por mensagens que precisa de vagas de UTI. A resposta, no entanto, foi desanimadora. A maioria respondeu que não tem como ajudar.

"Já colapsamos. Socorro. Preciso de ajuda. Algum estado pode auxiliar com vagas de UTI?", perguntou o secretário a colegas.

As respostas foram todas no mesmo sentido. Amapá disse que bateu 90% de ocupação neste domingo. Tocantins afirmou que está em 99%. Rio Grande do Sul declarou que está completamente sem vagas. Mato Grosso do Sul, da mesma forma, com 94%. Goiás também avisou que não teria vagas.

Antes desse momento, o pior da pandemia até agora, estados conseguiam se ajudar, transferindo e recebendo pacientes. O que não é mais possível.

O governo de Mato Grosso divulgou uma nota de esclarecimento em que confirma o pedido de ajuda aos estados e diz ter 59 pacientes na fila por uma vaga na UTI. O governo diz não ter recebido até o momento uma resposta oficial dos estados.

Filas com casos de Covid-19 no Hospital Alfa, em Boa Viagem, no Recife - Leo Caldas/Folhapress

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.