Painel

Editado por Guilherme Seto (interino), espaço traz notícias e bastidores da política. Com Catarina Scortecci e Danielle Brant

Salvar artigos

Recurso exclusivo para assinantes

assine ou faça login

Painel
Descrição de chapéu guerra israel-hamas

Tesoureira do PT se desculpa com judeus após críticas a Israel

Gleide Andrade havia dito que o Estado não merece existir; em retratação, ela negou que seja antissemita

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

A Secretária de Finanças do PT nacional, Gleide Andrade, publicou em uma rede social nesta terça-feira (24) um pedido de desculpas à comunidade judaica, após ter dito na véspera que Israel era um Estado assassino e que não merecia existir. O caso foi revelado pelo Painel.

A tesoureira do PT, Gleide Andrade - Flügel/pt.org.br

"Diante da repercussão de opiniões pessoais sobre o conflito entre Israel e o Hamas que externei em redes sociais, venho me desculpar com a comunidade israelita, que merece respeito e solidariedade pelo ataque inaceitável do último dia 7", escreveu ela.

A postagem original de Gleide, que é também conselheira de Itaipu, gerou inúmeras críticas, entre elas da Conib (Confederação Israelita do Brasil), que a acusou de ser "antissemita".

Em sua retratação, a tesoureira petista negou que tenha algo contra os judeus.

"Não sou, nunca fui antissemita. Minha fé é pautada nos ensinamentos de um judeu, Jesus de Nazaré. Manifestei-me nas redes sob o impacto do sofrimento e das mortes de crianças inocentes, algo chocante para todo ser humano", afirmou. Ela apagou os posts ofensivos a Israel que havia publicado na rede X.

A dirigente petista declarou ainda que defende o cessar-fogo, a libertação dos reféns e a construção de uma saída pacífica para o conflito. "Creio que a resposta à violência não deve ser mais violência", afirmou.

Ela ressalvou também que as opiniões que expressou foram em caráter pessoal, e não em nome do partido. O PT condenou os ataques do Hamas contra Israel, mas depois criticou durante o Estado judeu pelos bombardeios em Gaza, dizendo que era parte de um "genocídio".

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.