Painel

Editado por Guilherme Seto (interino), espaço traz notícias e bastidores da política. Com Danielle Brant

Salvar artigos

Recurso exclusivo para assinantes

assine ou faça login

Painel

PSDB estreia ferramenta digital com crítica a uso político da Petrobras

Farol da Oposição, do Instituto Teotônio Vilela, falará da estatal que é pivô de crise do governo Lula (PT)

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

O Instituto Teotônio Vilela, ligado ao PSDB, lança nesta quarta-feira (17) uma ferramenta digital semanal para municiar seus filiados e autoridades na oposição ao governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O Farol da Oposição vai estrear com o tema da Petrobras, estatal que é pivô de uma crise no Executivo.

"É o PT de novo querendo colocar a mão na empresa, que foi fonte de vários escândalos em seus governos anteriores. De novo, é Lula voltando ao local do crime", diz o deputado Aécio Neves (PSDB-MG), presidente do Instituto.

Deputado federal Aécio Neves (MG) durante evento do PSDB em Brasília
Deputado federal Aécio Neves (MG) durante evento do PSDB em Brasília - Divulgação/@PSDBoficial no X

O material será veiculado nas redes do partido e enviado por WhatsApp a militantes, contendo dados e argumentos contra o governo. "Vamos mostrar que outra oposição ao governo, além do bolsonarismo, é possível", diz Aécio.

Outros temas que devem ser destacados em breve são a questão da segurança pública, com enfoque na Bahia, estado governado pelo PT, e as viagens ao exterior feitas por Lula.

Segundo cálculos do ITV, Lula, juntando seus dois primeiros mandatos e o atual, passou já 1 ano e meio fora do Brasil. Isso equivale a quase a soma dos outros governos nos últimos 30 anos.

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.