Após final de semana violento, Exército reforça patrulhamento no Rio

Medida é em 'áreas de grande circulação', segundo o comando militar

Rio de Janeiro

O Exército iniciou nesta segunda-feira (26) uma operação em pontos turísticos e lugares movimentados do Rio.

A ideia é dar visibilidade à atuação das tropas. As regiões escolhidas não são as mais conflagradas da cidade. 

Em nota, o CML (Comando Militar do Leste) informa que os militares iniciaram “um reforço no patrulhamento especializado em áreas de grande circulação de pessoas e veículos na cidade”.

No primeiro dia desse reforço, as tropas das Forças Armadas patrulharam de modo não estático (patrulhas motorizadas) e fizeram reconhecimentos de terreno visando a identificar pontos adequados para a sua permanência por períodos de tempo definidos.

Alguns pontos selecionados foram o cruzamento das avenidas Presidente Vargas e Rio Branco, a praia de Copacabana, na altura do Copacabana Palace, e a orla de Botafogo, na altura do Botafogo Praia Shopping. Efetivos nesses pontos serão vistos a partir desta terça-feira (27).

Além de militares das Forças Armadas, integrantes da Força Nacional e de policiais militares participam desta “intensificação de patrulhamento”. O CML não divulgou o efetivo nas ruas.

A ofensiva do Exército ocorre depois de um final de semana violento em comunidades do Rio e da região metropolitana.

Pelo menos 12 jovens foram mortos em dois eventos diferentes —​um confronto com policiais militares ocorrido no sábado (24) na Rocinha, favela da zona sul; e uma chacina no domingo (25) em Maricá

A Folha presenciou na tarde desta segunda um comboio da Polícia do Exército em deslocamento pelo Aterro do Flamengo, na zona sul.

Mais cedo, milicianos e traficantes entraram em confronto pela manhã na praça Seca, zona oeste do Rio.
O tiroteio fechou o trânsito do BRT (sistema de corredor de ônibus) na região. Um grupo de traficantes fugiu de carro pela rua Cândido Benício, a principal via do bairro. Com fuzis, eles fecharam o trânsito.

Tiroteios foram registrados nesta manhã também na Rocinha. Uma professora postou um vídeo com os alunos sentados na parte interna de uma escola tentando se abrigar dos tiros. 

Um homem foi morto na localidade chamada 199. Segundo o porta-voz da PM, o homem portava um fuzil e entrara em confronto com policiais.

Desde fevereiro, a segurança pública do Rio é comandada pelo general Braga Netto

As estatísticas de crimes de fevereiro e março ainda não foram divulgadas pelo ISP (Instituto de Segurança Pública).

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.