Corpo é encontrado em carro abandonado em frente à Federal do Rio

Veículo foi estacionado enquanto ocorria evento contra o fascismo na porta da UFRJ

Júlia Barbon Nicola Pamplona
Rio de Janeiro

Um carro com um corpo no banco do passageiro foi estacionado em frente à Faculdade Nacional de Direito da UFRJ (Universidade Federal do RJ), no centro da cidade, nesta sexta-feira (26), enquanto ocorria uma aula pública na porta da unidade.

Os alunos estavam virados para o outro lado quando perceberam, por volta do meio-dia, que o veículo branco estava rodeado de policiais. Segundo a estudante Juliana Sanches, do Centro Acadêmico da FND, um motorista de ônibus achou que a pessoa estava passando mal. 

Ele, então, parou uma ambulância que passava, disse a estudante, e uma socorrista constatou a morte. A rua é bastante movimentada e o Hospital Municipal Souza Aguiar, um dos principais do Rio, fica a cerca de 300 metros do local.

Assim que perceberam a ocorrência, os alunos transferiram o evento para dentro do prédio por segurança. Era um ato “contra o fascismo”, em resposta a apreensões de faixas e fiscalizações de atos pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) nos últimos dias. Por volta das 15h15 eles começaram a andar em direção ao edifício do tribunal.

Um carro com um corpo no banco do passageiro foi estacionado em frente à Faculdade Nacional de Direito da UFRJ (Universidade Federal do RJ), no centro da cidade, nesta sexta-feira (26)
Alunos protestam em frente à Faculdade Nacional de Direito da UFRJ (Universidade Federal do RJ), nesta sexta-feira (26). Um carro com um corpo no banco do passageiro foi estacionado no local - Júlia Barbon/Folharess

O Sandero, que tem uma marca de tiro no porta-malas e foi abandonado com o pisca alerta ligado, ficou estacionado no local, com policiais, cones e faixas impedindo a aproximação de curiosos até a conclusão do trabalho da perícia, que aconteceu entre 15h30 e 16h30.

A Polícia Militar informou em nota que policiais do 5º batalhão (Harmonia) foram acionados por agentes do programa Centro Presente (de reforço ao patrulhamento padrão), que afirmaram que um corpo estaria “dentro de um carro, marca Renault, próximo a produto de roubo”.

Disse ainda que o Corpo de Bombeiros constatou o óbito e que a PM estava preservando o local até a chegada da equipe da Delegacia de Homicídios da capital.

O delegado Giniton Lages, titular da DH, afirmou por mensagem que tem que esperar as informações coletadas no local antes de confirmar a identidade da pessoa morta. Também não confirmou uma informação de que o carro teria sido roubado.

O centro acadêmico da FND divulgou em nota mais cedo que, “ao que tudo indica, a pessoa dentro do carro não faz parte do corpo social” da universidade.

No sábado (27), a polícia afirmou que o homem encontrado morto em frente à Federal no Rio pode ter participado de assaltos.

Maurício Venâncio, 57, é suspeito de participar de um assalto na manhã do mesmo dia, segundo o boletim de ocorrência feito pela polícia.

O carro em que ele estava foi roubado na manhã de quinta, enquanto sua proprietária entrava na garagem de casa, na região central do Rio. Segundo a vítima, três homens a abordaram e levaram o carro com seus pertences. Depois, o mesmo veículo participou de tentativa de assalto de uma moto na mesma região.

Segundo a polícia, a descrição feita pelas vítimas do assalto e da tentativa de assalto bate com as características de Venâncio, que morreu após levar um tiro.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.