Prefeitura de São Paulo decide manter a vacinação contra o sarampo para bebês

Quem não se vacinou durante a campanha também pode procurar um dos postos para a imunização

Patrícia Pasquini
São Paulo

A campanha de vacinação contra o sarampo na cidade de São Paulo termina neste sábado (31), mas a Secretaria Municipal da Saúde decidiu manter a vacinação em crianças entre seis e 11 meses e 29 dias de idade nos postos de saúde da cidade e nos Centro de Educação Infantil e creches da capital paulista até atingir a meta de 95% de cobertura vacinal desta faixa etária.

Três pessoas morreram em decorrência da doença—dois bebês e um homem de 42 anos. Eles residiam na capital paulista e em Barueri (Grande SP). 

Quem não tomou a vacina durante a ação pode comparecer a uma das (UBS) Unidades Básicas de Saúde com a carteirinha de vacinação para a atualização do esquema vacinal.

Alice Ferreira toma vacina contra o sarampo, na UBS Dr. Geraldo da Silva Ferreira, no Jabaquara, em São Paulo
Alice Ferreira toma vacina contra o sarampo, na UBS Dr. Geraldo da Silva Ferreira, no Jabaquara, em São Paulo - 04.08.2018 - Eduardo Anizelli/Folhapress

A recomendação é que pessoas de um a 29 anos de idade devem ter duas doses comprovadas da vacina, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.

Quem tem entre 30 a 59 anos precisa receber pelo menos uma dose. Acima dos 60 anos, a vacina só é recomendada em ações de bloqueio, quando há notificação de casos suspeitos da doença perto da residência do paciente ou em locais frequentados por ele.

A campanha de vacinação contra o sarampo começou em 10 de junho na cidade e foi prorrogada duas vezes. A cobertura vacinal de bebês chegou a 66,21% com 56.071 doses aplicadas.

Na faixa etária de 15 a 29 anos, foram aplicadas 1.237.458 doses —o equivalente a 42,5% deste público.

A capital paulista tem 1.637 casos de sarampo até o momento. O estado acumula 2.457 registros da doença. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.