Incêndio destrói monumento histórico em Salvador

Obra ficava em uma das regiões mais movimentadas da cidade; não há vítimas

Daniel Leite
Juiz de Fora | UOL

​Um incêndio consumiu na tarde deste sábado (21) uma das obras de arte mais conhecidas da capital baiana, o Monumento à Cidade de Salvador, também chamado de Fonte da Rampa do Mercado Modelo.

Os bombeiros foram acionados às 15h46, mas não houve tempo de evitar a destruição. Não há vítimas, e as causas do fogo são desconhecidas no momento.

O Monumento à Cidade de Salvador, atingido por incêndio neste sábado, em imagem de 2013
O Monumento à Cidade de Salvador, atingido por incêndio neste sábado (21), em imagem de 2013 - Sérgio Pedreira - 26.mar.2013/Folhapress

A obra ficava em um dos pontos de maior movimentação de turistas na cidade, perto do Elevador Lacerda. Do monumento, restou apenas a estrutura de metal. Vídeos feitos por moradores lamentando o ocorrido deixam claro como a escultura era uma referência para a população.

O monumento, concebido em 1970 pelo artista plástico baiano Mario Cravo Júnior, foi construído, inicialmente, de fibra de vidro, em caráter experimental. A intenção era substituir por concreto armado, o que acabou não sendo feito.

Segundo os bombeiros, não há como saber o motivo do início do fogo na obra, de 16 m de altura. Quando erguida, ela tinha a função de escultura e fonte luminosa.

A reportagem tenta contato com a prefeitura para saber se há como restaurar a escultura.

Em 2013, outra obra de Mario Cravo pegou fogo em Salvador. O monumento a Clériston Andrade, na Avenida Gabribaldi, teve a parte superior atingida pelo incêndio. Restaurado, foi entregue em março de 2015, nas comemorações dos 466 anos da capital.

Mario Cravo Júnior nasceu em 1923, em Salvador, e morreu em 2018. Atuou como escultor, desenhista, gravador, professor.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.