Descrição de chapéu Coronavírus

Papa Francisco liga para arcebispo de Manaus para saber sobre pandemia

Capital do AM concentra 25% dos casos da Pan-Amazônia, que engloba 9 países

Manaus

Emocionado com as imagens de mortos pela Covid-19 enterrados em valas comuns, o papa Francisco telefonou neste sábado (25) para o arcebispo de Manaus, dom Leonardo Steiner. O sumo pontífice perguntou sobre a situação da capital amazonense e manifestou preocupação com os povos indígenas, tradicionais e pobres.

“Ele teve a delicadeza de ligar ontem à tarde. Fiquei meio espantado, receber o telefonema do papa não é tão simples. Como nos conhecemos há muito tempo, logo a conversa fluiu. Ele queria saber da realidade de Manaus, e eu coloquei um pouco para ele”, relatou dom Leonardo à Folha.

Papa Francisco, em Roma
Papa Francisco, em Roma - Alberto Pizzoli - 19.abr.2020/AFP

“Ele perguntou muito a respeito dos povos indígenas, como estão sendo atendidos. Na Europa toda, correu essa questão dos enterros: ‘Eu queria mostrar a proximidade, o apoio, estou rezando por vocês, você diga ao povo de Manaus, que estou acompanhando’,” disse o arcebispo.

Segundo monitoramento diário da Covid-19 feito pela Repam (Rede Eclesiástica Pan-Amazônica), a arquidiocese de Manaus é a que mais sofre com a pandemia entre todas as cidades da Amazônia. A capital do Amazonas concentra 25% dos casos de uma região que engloba nove países: Colômbia, Peru, Venezuela, Equador, Bolívia, Suriname, Guiana e Guiana Francesa (departamento da França), além do Brasil.

“Agradeci muito a ele pelo telefonema, porque mostra que ele tem preocupação com a nossa situação aqui. Acho também um gesto bonito dele, pedindo que comunicasse às famílias dos entes falecidos que ele está acompanhando com as orações”, afirmou o arcebispo.

Dom Leonardo reportou ao papa Francisco que a Igreja Católica tem acompanhado os moradores de rua, distribui cestas básicas para pobres e imigrantes por meio da Cáritas e realiza celebrações religiosas via internet e meios de comunicação, além de monitorar a situação dos cerca de 30 mil indígenas que moram na cidade.

“Mas acentuei mais essa parte que a sociedade está envolvida em cuidar dos pobres, essa campanha que estamos fazendo está dando um resultado mais positivo”, afirma dom Leonardo.

“No final, eu disse: 'Santo Padre, o senhor poderia enviar uma benção?’. Ele respondeu: “Estou rezando por vocês e envio uma benção.”

A Amazônia é considerada uma das prioridades do pontificado de Francisco. No ano passado, o Vaticano sediou um sínodo inédito sobre a região, com o objetivo de fortalecer a presença da Igreja Católica entre os povos indígenas e tradicionais e de defender a preservação da floresta.

Diagnóstico de Manaus

Manaus foi a primeira cidade do país com o sistema de saúde colapsado por causa do novo coronavírus. A rede pública está com os leitos de UTI lotados, e o maior cemitério da cidade passou a enterrar vítimas da Covid-19 em valas comuns, por causa da alta demanda.

À frente da arquidiocese desde o início do ano, dom Leonardo, 69, atribui o colapso dos hospitais de Manaus a falhas no isolamento social e na situação precária da rede mesmo antes da pandemia da Covid-19.

“Primeiro, o pessoal demorou demais pra pedir o isolamento”, afirma o arcebispo. “Tivemos o isolamento de uma semana, mais ou menos. Depois, apesar dos apelos feitos _nós, da igreja, temos insistido_, muitos não têm observado isolamento. Na periferia, como fazer isolamento em casas tão pequenas, com um número elevado de pessoas? É extremamente difícil.”

Sobre o sistema de saúde, dom Leonardo mencionou um recente escândalo no Amazonas após a descoberta de desvios de recursos. Iniciada em 2016, investigação conjunta da Polícia Federal e do Ministério Público Federal revelou o roubo de ao menos R$ 50 milhões de repasses do governo federal ao sistema de saúde do Amazonas.

O caso levou à prisão do ex-governador José Mello (ex-Pros) e da mulher do senador Omar Aziz (PSD), Nejmi Aziz, entre outras pessoas. O parlamentar, próximo do governo Wilson Lima (PSC), também é investigado, mas não foi preso por causa do foro privilegiado.

O Amazonas é o estado com a maior incidência do novo coronavírus do país. São 3.635 casos confirmados, com 287 mortos. Os pacientes recuperados somam 1.089 pessoas

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.