Descrição de chapéu Coronavírus

Doria anuncia fase verde da quarentena para 76% da população de SP, incluindo capital

Estágio permite quase todas as atividades e reabertura de cinemas e teatros com ocupação reduzida

São Paulo

Cerca de 76% da população do estado de São Paulo entrará na fase verde do Plano SP, que prevê a reabertura controlada de quase todas as atividades, inclusive cinemas e teatros. É o penúltimo estágio da quarentena imposta pela pandemia do novo coronavírus (veja como está a pandemia em cada região do país).

A informação da reabertura para a maioria da população do estado, antecipada pela Folha, foi anunciada pelo governador João Doria (PSDB) na entrevista coletiva desta sexta-feira (9). A reabertura será efetivada já neste sábado (10). Além da capital, as regiões de Campinas, Baixada Santista, Piracicaba, Sorocaba e Taubaté entram na fase verde —nelas, vivem 3 de cada 4 paulistas.

A região de Barretos, que apresentou um aumento no número de internações e mortes nas últimas semanas, regrediu para a fase laranja, mais restritiva, e o restante do estado permanece no amarelo, intermediário, cujas regras foram ligeiramente flexionadas nesta sexta. Não há nenhum local na fase de limitações severas, a vermelha.

A progressão para a fase verde, após mais de seis meses de quarentena, permite que estabelecimentos comerciais adotem regras de funcionamento menos restritivas. Os shoppings e galerias de lojas, por exemplo, poderão funcionar com 60% da capacidade total e por um período de 12 horas. Hoje, esses locais podem ficar abertos por 8 horas.

Na educação, de acordo com o plano de retomada, o número de alunos presentes na escola, hoje limitado a 35%, poderá subir para 70% após duas semanas de permanência da cidade no novo estágio.

Com essa mudança, o governo deve fortalecer a campanha para que os municípios reabram as escolas, reforçando o argumento de que o confinamento prologando causou prejuízo aos jovens e às crianças.

Em meio à campanha eleitoral, prefeitos têm adiado o retorno, decisão que pode se complicar com a entrada para a fase verde, quando praticamente todas as atividades funcionam perto da normalidade.

Para os setores de comércio, serviços e para estabelecimentos como salões de beleza, barbearias e academias de esporte de todas as modalidades e de ginástica, vale a mesma regra: ocupação máxima de 60%, abertura por até 12 horas e obrigação de seguir protocolos de distanciamento, uso de máscaras e disponibilidade de álcool em gel.

Outra novidade é que os bares e restaurantes (ou estabelecimentos similares) deverão interromper o serviço às 22h, mas os clientes agora poderão permanecer nos locais até as 23h. A regra passa a valer para as regiões que estão na faixa verde e amarela, no que o governo chamou de ajuste do Plano SP.

O governador anunciou ainda que regiões que estão na fase amarela terão o horário de funcionamento do comércio ampliado de 8 horas para 10 horas por dia. A mudança acontece para shoppings, comércio de rua e academias de ginástica também.

O prefeito Bruno Covas informou durante a entrevista que as atividades culturais, como cinemas, teatros e museus, serão retomadas na cidade de São Paulo a partir deste sábado (10), seguindo restrições de ocupação e protocolos de higiene assinados previamente entre o setor e a gestão municipal.

O público deve ser limitado a 60% da capacidade do local, com até no máximo 600 pessoas. Os estabelecimentos precisam controlar o acesso, inclusive com hora marcada, e demarcar filas e espaços respeitando distanciamento mínimo. A medição de temperatura na entrada é também obrigatória.

De acordo com o Plano SP, essas atividades podem ser retomadas após a região permanecer por pelo menos 28 dias na fase amarela, caso da capital, estável desde o fim de julho. A reabertura, porém, depende da prefeitura, que optou por seguir com o fechamento até o início da fase verde.

O prefeito disse ainda que vai aguardar por mais 15 dias para avaliar a reabertura dos parques aos finais de semana. Não há previsão do retorno do fechamento da avenida Paulista para carros aos domingos.

Qualquer outro evento ou atividade que gere aglomeração ou que não se encaixe nas especificações do Plano SP continuam proibidos e sem previsão para retomada. A fase final do Plano SP é a azul, que permite todas as atividades desde que mantidos controles sanitários, como uso de máscaras e distanciamento social.

O governo também não deu previsão para a volta do público aos jogos de futebol no estado.

Com a atualização do Plano SP, foi extinta a divisão da Grande São Paulo em subregiões. Capital e região metropolitana, agora, passam a compor uma única região que evolui ou involui em bloco.

Segundo Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico do estado de São Paulo, novas reclassificações das regiões nos estágios do Plano SP estão agendadas para os dias 16 de novembro e 16 de dezembro. Isso porque nas fases atuais é necessário que se aguarde ao menos um mês antes da próxima evolução.

O estado de São Paulo registrou, até esta sexta-feira (9), 1.028.190 casos do novo coronavírus, cerca de 20% do total registrado em todo o Brasil.

Desde 25 de fevereiro, quando foi confirmado o primeiro caso da doença no país, justamente em São Paulo, foram contabilizados 37.068 mortes em decorrência do novo vírus no estado, sendo aproximadamente 35,4% delas na capital paulista, que reúne 26,6% da população e 29,2% dos casos.

Nas últimas três semanas, a média diária de mortes causadas pelo coronavírus na cidade de São Paulo, que já superou 100, flutua abaixo de 30 óbitos. Em setembro, a capital entrou em estágio de desaceleração da pandemia segundo aferição do monitor mantido pela Folha.

Apesar do otimismo —nova pesquisa do Datafolha apontou que 2 de cada 3 paulistanos avaliam que a situação da pandemia esteja melhorando na cidade— Doria pediu cautela com relação ao feriado da próxima segunda (12), alertando para o risco de aumento do número de casos.

“Compreendo que as pessoas queiram aproveitar esse momento com seus parentes e amigos. O reencontro é bom e natural, mas deve ser feito sem festas e sem aglomerações, com máscara e distanciamento social. O zelo vai evitar a contaminação e o risco de morte”, afirmou.

Colaborou Matheus Moreira

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.