Descrição de chapéu Opinião

Finanças e negócios sociais avançam e impacto entra para a agenda

Henrique Bussacos

O Impact Hub iniciou uma jornada há 12 anos e, desde então, vem transformando o software e o hardware do mundo do trabalho. Criamos nossa primeira comunidade em Londres em 2005 e a segunda em São Paulo em 2006.

Hoje somos uma rede global presente em mais de cem cidades no mundo, fomentando comunidades empreendedoras e criando impacto em lugares tão diversos quanto Kigali em Ruanda, Londres no Reino Unido, Phnom Penh no Camboja, San Francisco nos Estados Unidos, além da forte presença em sete cidades no Brasil.

Para transformar o hardware, cocriamos com um grupo de inovadores sociais o primeiro coworking da América Latina em 2007. A ideia, que parecia estranha na época, hoje é bastante comum e já são centenas de espaços de coworking no Brasil. Nosso trabalho sempre foi colocar o espaço a serviço de uma nova forma de trabalhar, mais colaborativa e com propósito.

Essa nova forma de desenhar espaços de trabalho se difundiu e já ajudamos várias organizações como Natura, BASF, Imaflora e Fundo Zona Leste Sustentável a criarem espaços que refletiam seus valores e passassem a servir o propósito dessas organizações.

Para promover uma transformação no software, com o apoio da Artemisia e do Papel Solidário, estruturamos o Impact Hub como um negócio social. Naquele momento, a terminologia ainda não estava clara, mas o direcionamento já era o mesmo: aplicar ferramentas de mercado para potencializar o impacto socioambiental positivo na sociedade.

Desde então, o Impact Hub São Paulo já apoiou mais de 2.000 inovadores sociais, oferecendo um espaço inspirador e uma comunidade vibrante. Por meio de programas de educação empreendedora e de apoio empreendedor, já beneficiou diretamente mais de 5.000 pessoas só em São Paulo.

O pioneirismo traz vários desafios. Em 2007, era bem difícil explicar o que eram negócios sociais, inovação social e como funcionava um coworking. Atrair membros, parceiros e investidores não era trivial.

Hoje ficamos muito felizes de ver como, junto com vários atores, pudemos criar um ecossistema de negócios de impacto e finanças sociais. A trilha para os novos negócios sociais e novos atores do campo ainda não é fácil, mas já conta com mais pessoas, organizações e apoio para avançar.

Quando uma temática é disseminada, muitas vezes, ela perde um pouco a profundidade, mas isso faz parte do processo de disseminação das novas ideias. Isso também acontece com o impacto socioambiental, mas, mesmo que de forma superficial, é importante que tenhamos mais atores divulgando temas tão relevantes para o futuro de todos.

Em 2019, vamos continuar trabalhando junto com vários atores do ecossistema para envolver cada vez mais gente, mais organizações sociais, mais empresas e mais instituições públicas para promover uma forma mais consciente de fazer negócios e investir.

Agora, o Impact Hub pode dar mais um passo em direção ao futuro e ocupar um novo papel: somos uma catalisadora de causas para acelerar o ritmo da busca pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Com a Aceleradora de Causas, damos o próximo passo na nossa evolução e colocamos nosso hardware e software integrados a serviço de causas fundamentais para o futuro das pessoas e do planeta.

Um bom exemplo disso é o Centro de Juventude no Impact Hub, um hub temático que reúne organizações como a Engajamundo, a Fundação Arymax, o Instituto Arapyau, o Programa Pense Grande (Fundação Telefônica), o Programa Pulsar (AES Tietê) e um time de jovens da periferia de São Paulo que integram as suas agendas para potencializar uma causa.

Juntas, essas organizações e projetos beneficiam diretamente mais de 10 mil jovens e farão a maior pesquisa com jovens já realizada no país.

Vamos encerrar este ano convictos que demos passos importantes para envolver mais atores como grandes empresas e o governo na busca por um mundo radicalmente melhor. O Fórum de Finanças Sociais e Negócios de Impacto que correalizamos em junho com o ICE e a Vox Capital foi um bom demonstrativo disso.

Ainda temos muito trabalho pela frente, mas é importante celebrar o que conquistamos até aqui nessa jornada. E queremos continuar nossa jornada de pioneirismo convidando a todos para se envolver, afinal, impacto não acontece de forma isolada, ele requer ação coletiva. Vamos juntos?

Henrique Bussacos

Cofundador do Impact Hub São Paulo, Floripa e Manaus, é responsável por parcerias estratégicas do Impact Hub na América Latina

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.