Descrição de chapéu Coronavírus

Doações para fazer frente à pandemia ultrapassam R$ 1 bilhão, marca histórica no Brasil

Setor de saúde lidera na atração de recursos captados e cresce mobilização da sociedade civil que reúne mais de cem organizações

São Paulo

A marca histórica de R$ 1 bilhão em doações foi alcançada nesta quarta-feira (8), em balanço consolidado pela ABCR (Associação Brasileira de Captadores de Recursos ).

Por meio do Monitor das Doações Covid-19 (http://monitordasdoações.org.br), o montante é atualizado dia a dia pela entidade com dados públicos coletados.

Em se tratando de uma doença que virou pandemia, o setor de saúde é para onde tem sido carreado o maior volume de doações.

“A saúde é a causa que mais sensibiliza o brasileiro”, afirma Paula Fabiani, presidente do Idis (Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social). Dado é apontado pela Pesquisa Doação no Brasil (https://www.idis.org.br/pesquisadoacaobrasil/).

“Devemos comemorar a força da nossa cultura de doação. Vivemos um momento inédito na filantropia brasileira que demonstra impacto de uma sociedade unida em torno de uma causa”, destaca Paula.

O Idis lançou o Fundo Emergencial para a Saúde – Coronavírus Brasil www.bsocial.com.br/causa/fundo-emergencial-para-a-saude-coronavirus-brasil/doar), junto com o Movimento Bem Maior e a BSocial.

O objetivo é captar doações para compra de de equipamentos hospitalares e para UTIs, testes para coronavírus, materiais de proteção para médicos e enfermeiras e medicamentos.

Um volume expressivo de recursos encaminhados para ações da saúde e de outras causa correlatas. O Banco Safra, por exemplo, anunciou nesta segunda-feira (6) mais R$ 10 milhões em doações para hospitais filantrópicos, como as Santas Casas, e ações de saúde. Valor que se soma aos R$ 20 milhões já disponibilizados pelo banco na semana passada.

Na terça-feira (7) foi a vez de o Universo Americanas, formado por Lojas Americanas, B2W, Let’s, IF (Inovação e Futuro) e Ame Digital, criar um comitê de crise para promover ações de impacto social com entes públicos e privados.

Entre as iniciativas, estão a doação de R$ 20 milhões em serviços logísticos para o Estado de São Paulo e parceria com Rede D’Or para construção de hospital de campanha no Rio de Janeiro, que custará, R$ 45 milhões.

O hospital, que ficará pronto em 30 dias, será exclusivo para pacientes do SUS e contará com 200 leitos, sendo 100 de UTI e 100 de enfermaria.

“Entendemos o importante papel social que o Universo Americanas desempenha no Brasil. Dessa forma, temos adotado medidas relevantes para garantir o nosso apoio a todo o Brasil”, afirma Anna Saicali, presidente do comitê de crise e CEO da IF – Inovação e Futuro -, braço de inovação do Universo Americanas.

A Fundação Itaú Social e Instituto Unibanco lideram a lista com R$ 150 milhões empenhados para ações diversas, seguido do Instituto Votorantim com uma doação de R$ 50 milhões, mesmo montante anunciado pelo BTG Pactual.

O restante é o somatório de uma série de iniciativas, como a União BR, presente em vários estados, e fundos criados a partir da mobilização do terceiro setor e lideranças da sociedade civil para fazer frente à pandemia.

“Reconhecer essas iniciativas e valorizar quem está se mobilizando é fundamental para que se faça dessas ações um movimento que vai além da doação nesse momento, e transforme a forma como brasileiros e brasileiras se relacionam com as causas no país”, diz João Paulo Vergueiro, diretor-executivo da ABCR.

A entidade ressalta se tratar de um esforço que resulta em um recorde histórico. “É a maior mobilização de doações que se tem conhecimento nos últimos 50 anos”, completa Vergueiro.

São doações de grandes doadores, em milhões de reais, e também de famílias e pessoas físicas, que doam R$ 30, por exemplo.

A mobilização é forte também junto às mais de cem organizações da sociedade civil engajadas para enfrentar os efeitos da crise do coronavírus.

O movimento Sociedade Contra o Coronavírus é um esforço liderado pelo Instituto Procomum, Aponte o Pacto pela Democracia Abong e Gife. A proposta é mapear as necessidades das comunidades em situação de vulnerabilidade, articular esforços para que recursos financeiros e materiais cheguem à ponta, e incidir em políticas públicas eficazes contra o avanço do novo vírus.

As iniciativas mapeadas podem ser acessada por meio da plataforma https://www.sociedadecontraocorona.org/.

“Acreditamos que reside nesse esforço conjunto e articulado de todos os setores - públicos e privados - a forma mais efetiva de enfrentarmos o coronavírus”, diz o manifesto do movimento. “Que o poder público, o setor privado, a sociedade civil organizada e os cidadãos brasileiros estejam juntos, conscientes e responsáveis diante dos desafios à nossa frente.”

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.