Grupo de pesquisa italiano diz ter achado mutação que gerou epidemia de coronavírus

País europeu tem 34 mortes e quase 1.700 infectados

São Paulo

Um grupo de pesquisadores da Universidade Campos Biomédico, em Roma, afirma ter encontrado a mutação viral que teria causado o chamado “salto de espécie”, permitindo que novo coronavírus infectasse um humano a partir de um animal infectado.

As informações são da agências de notícias italiana Ansa.

“Foi uma mudança decisiva, uma mutação muito particular ocorrida entre 20 e 25 de novembro”, disse Massimo Ciccozzi, líder do grupo de pesquisa, à Ansa.

O trabalho está em vias de ser publicado, segundo os cientistas, no periódico científico Journal of Clinical Virology.

A hipótese mais aceita até o momento é que o vírus teria sido adquirido de algum animal no mercado de frutos do mar de Wuhan, epicentro da epidemia, na China.


A Itália passa atualmente por uma dos maiores epidemias fora da China, ao lado de países como Coreia do Sul e Irã. O país europeu tem 34 mortes e quase 1.700 infectados.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.