Descrição de chapéu Copa do Mundo

Para a Argentina, estreia na Copa será nesta terça-feira, diz Sampaoli

Seleção sul-americana define sequência no Mundial contra a Nigéria

Alex Sabino
São Petersburgo

Em pouco mais de 15  minutos de entrevista um dia antes da partida contra a Nigéria, o técnico Jorge Sampaoli disse cinco vezes que a Copa do Mundo começa para a Argentina nesta terça (26), na terceira rodada da fase de grupos. Se a seleção não derrotar os africanos estará eliminada do torneio.

"Será a primeira partida das cinco para chegar à final. Estou seguro que teremos a melhor versão da Argentina no Mundial", afirmou o treinador, que comandou a equipe no empate contra a Islândia e na derrota para a Croácia.

O técnico Jorge Sampaoli participa da entrevista coletiva da Argentina no Estádio de São Petersburgo, na véspera da partida decisiva contra a Nigéria, nesta terça-feira
O técnico Jorge Sampaoli participa da entrevista coletiva da Argentina no Estádio de São Petersburgo, na véspera da partida decisiva contra a Nigéria, nesta terça-feira - CHRISTOPHE SIMON/AFP

Ele se recusou a informar a escalação, mas no treino desta segunda em Bronnitsi (55 km de Moscou), onde a delegação está hospedada, ensaiou time com a volta de jogadores veteranos como Marcos Rojo, Ángel Di María e Gonzalo Higuaín, a entrada de Éver Banega no meio-campo e a presença de Franco Armani no gol.

Se confirmada sua escalação, será a primeira partida do goleiro do River Plate pela seleção.

Sampaoli chegou a São Petersburgo após três dias de rumores, reuniões e crise. Ele teve um encontro com os jogadores, que pediram a simplificação do esquema tático.

O presidente da AFA (Associação de Futebol Argentino), Claudio Tapia, o chamou para assegurar que o técnico não será demitido e vai dirigir a seleção até o fim do torneio.

"Não posso esclarecer coisas que não conheço e não existem. Estou convencido de que a equipe vai jogar com muita energia. Não tenho de analisar outras situações", completou.

Certo de que o problema da Argentina passa também pela questão psicológica, Sampaoli usou um discurso emocional antes do jogo que define o futuro da seleção (e o seu) na Rússia.

"Temos de jogar com o coração. Isso é o que estamos transmitindo. Que quem entre [em campo] deixe a última gota de suor. Tenho convicção que será um ponto de partida para a Argentina."

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.