Descrição de chapéu Velocidade

Hamilton sofre, mas vence em Mônaco, e punição tira Verstappen do pódio

Piloto inglês da Mercedes amplia sua liderança no Mundial de Pilotos

São Paulo | UOL

​Mesmo correndo abaixo dos padrões da Mercedes e diante de dificuldades com pneus que geraram uma série de reclamações via rádio, o inglês Lewis Hamilton segurou seus adversários, liderou de ponta a ponta e venceu o GP de Mônaco de F-1, sexta etapa da temporada 2019. Foi a quarta vitória do pentacampeão no ano, o que aumentou para 17 pontos sua vantagem na liderança do campeonato em relação ao companheiro Valtteri Bottas, que terminou em terceiro lugar neste domingo (26).

O finlandês só obteve essa posição porque Max Verstappen (HOL/Red Bull Racing), que cruzou a linha de chegada em segundo em uma corrida de muita aproximação ao inglês, pagou uma punição de cinco segundos por passar Bottas de forma insegura nos boxes e foi deixado em quarto. Assim, Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) herdou a segunda posição no circuito de Monte Carlo.

Antes da prova, foram realizadas homenagens ao tricampeão mundial Niki Lauda, morto na última segunda (20). Os pilotos fizeram um minuto de silêncio antes da prova vestindo o boné vermelho que se tornou uma marca de Lauda na F-1.

 
Pilotos de F-1 fazem um minuto de silêncio em homenagem ao tricampeão mundial Niki Lauda, morto na última segunda (20), antes do GP de Mônaco
Pilotos de F-1 fazem um minuto de silêncio em homenagem ao tricampeão mundial Niki Lauda, morto na última segunda (20), antes do GP de Mônaco - Andrej Isakovic/AFP

Hamilton, Bottas e Verstappen mantiveram as primeiras posições logo após a largada, e grandes mudanças ocorreram apenas nas últimas posições, como as ultrapassagens de Robert Kubica (POL/Willians) para cima de Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo) e George Russell (ING/Williams). Inclusive, quando o italiano foi para cima do polonês para recuperar posição, na 16ª volta, uma leve batida deixou os dois carros, além da Ferrari de Leclerc, parados na pista.

O monegasco foi personagem marcante da corrida. Ele terminou o treino classificatório em 16º em razão de um erro de estratégia da Ferrari, mas largou uma posição à frente após punição de Giovinazzi. Na pista ele rapidamente tomou posições. Fez ótima ultrapassagem sobre Romain Grosjean (FRA/Haas) e chegou à 12ª colocação. Quando tentou passar Nico Hulkenberg (ALE/Renault), tocou na proteção da pista e furou o pneu. Sua corrida foi totalmente prejudicada. Leclerc ainda parou duas vezes até abandonar a prova na volta 18.

O acidente de Leclerc fez o safety-car entrar na pista para limpeza de detritos e vários pilotos foram aos boxes, que gerou congestionamento na saída. Foi justamente no retorno à pista que Verstappen tocou no carro de Bottas e ganhou a segunda posição. Bottas ainda parou de novo para trocar pneus e perdeu mais uma posição. Após alguns minutos a organização confirmou punição de cinco segundos para Verstappen por deixar os boxes de maneira insegura.

A punição de Verstappen, que andava colado no carro de Lewis Hamilton, deu emoção ao GP de Mônaco. O próprio inglês admitiu à Mercedes, via rádio, que estava andando mais lentamente do que o normal em razão dos pneus, então só segurava os outros carros. O time manteve a estratégia, mesmo com o holandês da Red Bull próximo. Para aumentar as expectativas, foi neste momento em que a chuva começou a engrossar em Mônaco.

Lewis Hamilton mostra capacete em homenagem a Niki Lauda após vencer o GP de Mônaco de F-1
Lewis Hamilton mostra capacete em homenagem a Niki Lauda após vencer o GP de Mônaco de F-1 - Andrej Isakovic/AFP

A chuva não foi capaz de mudar o curso da prova e as grandes disputas por posição ocorreram somente em posições intermediárias, como Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo) tentando passar Lance Stroll (CAN/Racing Point) e Sergio Perez (MEX/Racing Point) partindo para cima de Kevin Magnussen (DIN/Haas). Enquanto isso, na liderança, Verstappen não tentou a ultrapassagem sobre Hamilton, que reclamava frequentemente sobre as condições de seu pneu dianteiro esquerdo. A Mercedes não tinha um pit-stop nos planos e manteve o inglês na pista.

Naquele momento, o excesso de reclamações de Hamilton causava discussão com os engenheiros da equipe via rádio. Ele considerava impossível segurar os carros com seu pneu naquelas condições, mas a equipe insistiu. A corrida chegou a um estágio em que Hamilton podia vencer se o carro mantivesse o ritmo, Vertappen podia vencer se ultrapassasse Hamilton e abrisse os cinco segundos de vantagem e até Vettel poderia vencer se os dois primeiros se embolassem.

A três voltas do fim, e com mais potência de motor, Verstappen fez a última aposta para passar Hamilton, mas o inglês defendeu bem a posição, os carros colidiram, mas o cenário não se alterou.

Veja a classificação final do GP de Mônaco:

1º - Lewis Hamilton (GBR/Mercedes)
2º - Sebastian Vettel (ALE/Ferrari)
3º - Valtteri Bottas (FIN/Mercedes)
4º - Max Verstappen (HOL/Red Bull)
5º - Pierre Gasly (FRA/Red Bull)
6º - Carlos Sainz Jr (ESP/McLaren)
7º - Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso)
8º - Alexander Albon (TAI/Toro Rosso)
9º - Daniel Ricciardo (AUS/Renault)
10º - Romain Grosjean (FRA/Haas)
11º - Lando Norris (GBR/McLaren)
12º - Kevin Magnussen (DIN/Haas)
13º - Sergio Perez (MEX/Racing Point)
14º - Nico Hulkenberg (ALE/Renault)
15º - George Russell (GBR/Williams)
16º - Lance Stroll (CAN/Racing Point)
17º - Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo)
18º - Robert Kubica (POL/Williams)
19º - Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo)
Abandonou - Charles Leclerc (MON/Ferrari)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.