Corinthians joga por troféu e para pagar conta do Itaquerão

Equipe alvinegra encara o Montevideo Wanderers nesta quinta pela Sul-Americana

Luciano Trindade
São Paulo

Na décima posição do Campeonato Brasileiro, o Corinthians está bem distante da briga pelo título nacional. Por isso, o clube passou a dar mais importância neste momento para a disputa da Copa Sul-Americana, torneio que pode salvar o segundo semestre da equipe esportiva e financeiramente.

O time de Fábio Carille está nas oitavas de final da competição continental e terá nesta quinta-feira, às 21h30, em Itaquera, o primeiro confronto com o Montevideo Wanderers (URU). O jogo de volta será no dia 1º de agosto, no Uruguai.

Esta será a 22º partida do Corinthians no Itaquerão neste ano. Com os 14 confrontos que ainda tem a disputar em casa pelo Nacional, terminaria a temporada com 36 caso seja eliminado pelos uruguaios já nesta fase. Isso provocaria uma queda no faturamento com bilheteria em relação ao ano passado.

O estádio do Corinthians, em Itaquera, na Zona Leste
O estádio do Corinthians, em Itaquera, na Zona Leste - Gabriel Cabral/Folhapress

Em 2018, o time alvinegro fez 38 jogos como mandante, com uma renda bruta de R$ 1,6 milhão em média por partida. Como a mesma média nesta temporada até aqui, o clube deixaria de faturar ao fim do ano cerca de R$ 3,2 milhões com dois jogos a menos.

Todo o valor que o Corinthians arrecada com a bilheteria é destinado ao pagamento do financiamento do próprio estádio. Após longa negociação com a Caixa, o clube acertou o seguinte fluxo de pagamento: oito meses de R$ 6 milhões, de março a outubro, e quatro meses de R$ 2,5 milhões, de novembro a fevereiro. 

As parcelas menores se referem a meses com menos partidas. Daí a importância de o clube conseguir, ao menos, chegar à semifinal da Copa Sul-Americana para garantir a disputa de 38 jogos em sua arena.

Nesta edição, pela primeira vez, a decisão do torneio continental será em jogo único, em Assunção, no Paraguai. Cada finalista ficará com 25% da renda da partida.

Segundo o diretor financeiro do Corinthians, Matias Antonio Romano de Ávila, a diretoria espera fechar o ano com R$ 75 milhões de bilheteria. "E mais R$ 25 milhões em eventos na arena", diz Ávila. 

Além do financiamento, o clube ainda tem uma dívida com a Odebrecht. Conforme revelado pela Folha, a empresa responsável pela construção do estádio afirma que o Corinthians lhe deve R$ 800 milhões. A diretoria corintiana contesta esse valor e alega que a construtora deixou de fazer partes da obra. 

O custo total da arena e o valor real devido à Odebrecht são discutidos no Parque São Jorge por uma comissão formada recentemente por alguns conselheiros do clube.

No campo esportivo, o Corinthians luta para conseguir mais uma taça inédita na Copa Sul-Americana. O melhor desempenho do time na competição até hoje foi em 2005, quando chegou às quartas de final.

Fábio Carille também tem a chance de buscar seu primeiro título internacional. Campeão brasileiro e tricampeão paulista, ele disputa o torneio continental pela segunda vez. Em 2017, levou seus comandados justamente até as oitavas de final, quando caiu diante do Racing (ARG).

Nesta terça-feira, o treinador deverá mandar a campo a mesma formação que empatou no último domingo (21), com o Flamengo, por 1 a 1, pelo Campeonato Brasileiro.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.