Descrição de chapéu Financial Times

Grupo bilionário negocia com a Fifa criação de torneios de clubes

CVC Capital Partners, com US$ 82 bi em ativos, sinalizou investimentos à entidade

Murad Ahmed
Financial Times

O grupo CVC Capital Partners conduziu conversações com a Fifa e o Real Madrid (ESP) sobre financiar a criação de novos torneios internacionais de futebol que representarão um desafio para as ligas de futebol mais populares do planeta.

O CVC, cuja especialidade são as aquisições, está conversando com a Fifa, a organização que comanda o futebol internacional, para adquirir os direitos comerciais sobre a Copa do Mundo de Clubes, um torneio recentemente reformulado que contará com alguns dos maiores clubes de futebol do planeta.

Separadamente, o CVC e outras companhias foram procurados pelo Real Madrid, o clube de futebol mais rico do planeta em termos de receitas, quanto à criação de um novo torneio entre clubes, de acordo com pessoas informadas sobre as negociações.

Liverpool foi o campeão da Champions League na temporada 2018/2019
Liverpool foi o campeão da Champions League na temporada 2018/2019 - Carl Recine/Reuters

A jogada do grupo de capital privado sinaliza de que forma investidores importantes vêm buscando transações no esporte mais popular do planeta com frequência cada vez maior, enquanto as figuras mais influentes do futebol buscam novas maneiras de lucrar com o crescente interesse empresarial pelo esporte.

A notícia surge uma semana depois que o grupo americano de investimento Silver Lake chegou a acordo para adquirir cerca de 10% do City Football Group, a companhia controladora do Manchester City (ING), e de clubes afiliados em todo o mundo.

O CVC, um dos maiores grupos de capital privado do planeta, com US$ 82,5 bilhões (cerca de R$ 342 bilhões) de ativos sob administração, tem um longo histórico de compra e venda de propriedades esportivas, entre as quais as organizações controladoras da F-1 e da Moto GP. Recentemente, a companhia fez investimentos no mercado do rúgbi, pagando 225 milhões de libras (aproximadamente R$ 1,3 bilhão) no ano passado por uma participação de 27% na Premiership Rugby, a principal liga inglesa do esporte.

Em outubro, a Fifa anunciou que a Copa do Mundo de Clubes atual, com oito participantes, seria substituída por um torneio com 24 clubes, no mínimo oito dos quais europeus, que aconteceria a cada quatro anos. A China sediará o primeiro torneio expandido, em 2021.

A CVC está conversando com a Fifa sobre bancar a competição, o que incluiria adquirir os direitos de televisão sobre os jogos para revenda a grupos de mídia de todo o planeta, de acordo com diversas pessoas informadas sobre as conversações.

Mas executivos do CVC também foram procurados recentemente por Florentino Pérez, o presidente do Real Madrid, para conversar sobre o desejo do clube de criar uma competição anual concorrente, disputada por grandes clubes de todo o planeta, de acordo com diversas pessoas informadas sobre as discussões.

Uma pessoa disse que uma das opções que estão sendo discutidas é criar duas ligas de 20 times cada. Oito desses times seriam os oito clubes fundadores da World Football Club Association, uma organização recentemente criada da qual Pérez foi nomeado presidente no mês passado.

Os fundadores incluem o Real Madrid; o Milan, da Itália; o Auckland City, da Nova Zelândia; o Boca Juniors e o River Plate, da Argentina; o Club America, do México; o Guangzhou Evergrande, da China; e o Mazembe, da República Democrática do Congo.

O Real Madrid se recusou a responder perguntas detalhadas, mas disse que Pérez jamais conversou com Nick Clarry, o encarregado das operações de mídia e esporte do CVC, baseado em Londres.

Fontes informaram que as conversações entre o CVC e a Fifa sobre a Copa do Mundo de Clubes foram mais concretas e detalhadas do que as conversas com Pérez, devido ao ceticismo quanto à capacidade do presidente do Real Madrid para obter apoio das figuras mais influentes do esporte à sua proposta.

A Fifa anunciará uma concorrência na qual empresas apresentarão propostas pelos direitos comerciais sobre a Copa do Mundo de Clubes talvez já esta semana, disse uma pessoa próxima do processo, como parte da busca de fundos para a nova competição pela organização futebolística presidida por Gianni Infantino.

Grandes grupos mundiais de capital privado, conglomerados chineses e companhias internacionais de mídia contataram a Fifa quanto à aquisição de direitos sobre a competição, segundo pessoas ouvidas pela reportagem.

A Fifa vem buscando novo parceiros empresariais, depois que um consórcio internacional que incluía o Softbank, do Japão, e a Centricus, de Londres, abandonou uma proposta que teria garantido US$ 25 bilhões (R$ 104 bi) para o novo torneio interclubes.

Os planos para isso foram atacados pela Uefa, a organização que comanda o futebol europeu, e pela Associação Europeia de Clubes, uma organização setorial que representa mais de 200 dos maiores clubes do continente. Eles queriam defender o prestígio da Champions League, a principal competição interclubes da Europa, que distribui dois bilhões de euros em prêmios aos clubes participantes.

Prosseguem as negociações sobre mudar o formato da Champions Legue para promover mais partidas lucrativas entre os clubes mais fortes.

A Fifa foi autorizada a expandir sua competição mundial interclubes depois de obter o consentimento das organizações europeias, mas foi forçada a abandonar seus planos para um novo torneio internacional entre seleções.

A Fifa se recusou a comentar sobre o interesse do CVC, mas disse ter “conduzido reuniões com clubes de futebol de todo o mundo a fim de discutir como fazer da nova Copa do Mundo de Clubes um grande sucesso, especialmente do ponto de vista esportivo.”

Tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.