Veja o que se sabe sobre a prisão de Ronaldinho no Paraguai

Ex-jogador e irmão estão presos preventivamente por caso de documentos falsos

São Paulo

O ex-jogador Ronaldinho Gaúcho, 39, e seu irmão Roberto de Assis, 49, foram presos preventivamenteestão sendo investigados no Paraguai. De acordo com o Ministério Público local, eles entraram no país usando passaportes falsos.

O que se sabe até agora

O que Ronaldinho e Assis foram fazer no Paraguai? Convidados pelo dono de um cassino e uma empresária, participariam de vários eventos, como a inauguração de um programa beneficente de saúde e o lançamento de um livro com a história de vida do ex-jogador.

Por que eles estão sendo investigados? Segundo o Ministério Público, eles entraram no país portando passaportes e cédulas de identidades paraguaios falsos. Os números dos documentos apreendidos pertencem a outras pessoas, que também estão detidas.

Ronaldinho e Assis poderiam ter usado documentos brasileiros para entrar no país? Sim. Seus passaportes chegaram a ser bloqueados pela Justiça em 2018, após o não pagamento de uma multa por danos ambientais, mas foram devolvidos aos irmãos no ano passado, resultado de acordo judicial no Rio Grande do Sul. Até o RG poderia ter sido usado, devido a um acordo entre países do Mercosul.

E por que não o fizeram? Essa é a grande dúvida sobre o caso. Em coletiva de imprensa no domingo (8), o advogado dos irmãos, Sérgio Queiroz, afirmou que os passaportes paraguaios foram oferecidos a Assis para que ele e Ronaldinho pudessem fazer negócios no país. Indagado sobre que tipo de negócios seriam, Queiróz não especificou.

Qual foi a primeira decisão do Ministério Público? O Ministério Público paraguaio decidiu na noite de quinta (5) não acusar Ronaldinho e Assis pelo uso da documentação falsa. De acordo com o promotor público Frederico Delfino, ambos “foram enganados em sua boa-fé” e acabaram beneficiados pelo “critério de oportunidade”, item do código penal paraguaio usado quando os suspeitos admitem delito e não têm antecedentes criminais. Delfino defendeu que os irmãos deveriam ser punidos com multa ou prestação de serviço comunitário. O promotor, no entanto, deixou claro que a decisão final seria tomada por um juiz.

Qual foi a decisão do juiz após relatório do Ministério Público? Na sexta-feira (6), o juiz Mirko Valinotti discordou que o critério de oportunidade pudesse ser utilizado e determinou que a procuradora-geral do Estado, Sandra Quiñonez, decida se revisará a decisão inicial da Promotoria ou a manterá.

O ex-jogador Ronaldinho, em sua chegada ao Paraguai - Jorge Adorno - 5.mar.20/Reuters

Como ocorreu a detenção? Horas depois de o juiz Mirko Valinotti decidir que os irmãos deveriam continuar a ser investigados, a polícia decretou a detenção preventiva de Ronaldinho e Assis. Por volta das 21h30, agentes conduziram Ronaldinho e Assis para a Agrupácion Especializada da Polícia Nacional, em Assunção.

A detenção preventiva no Paraguai é medida utilizada quando se acredita na existência do risco de fuga da pessoa investigada. Ela pode durar até 48 horas, prazo máximo para que o detido seja submetido a um juiz ou que a detenção seja revogada.

O que aconteceu em seguida? Ronaldinho e Assis passaram a noite em uma cela na Agrupación Especializada da Polícia Nacional e compareceram algemados na manhã de sábado (7) a uma audiência de custódia no Palácio da Justiça. O Ministério Público então pediu a ratificação da decisão de manter Ronaldinho e seu irmão presos no Paraguai.

Qual foi a decisão da Justiça? A audiência durou sete horas, e a juíza Clara Ruíz Díaz determinou a prisão preventiva de Ronaldinho e Assis. Eles podem ficar em reclusão no país por até seis meses, durante as investigações do caso.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.