Descrição de chapéu The New York Times

Roland Garros começa no domingo com grande duelo e menos público

Stan Wawrinka e Andy Murray voltam a se enfrentar no Grand Slam de tênis

Christopher Clarey
The New York Times

Último Grand Slam do ano, Roland Garros começa no próximo domingo (27) com um duelo inusitado logo em sua rodada inaugural e público em suas arquibancadas.

Ainda que o sorteio tenha acontecido como planejado na quinta-feira (24), em Paris, os organizadores do do torneio francês ainda estão enfrentando questões sérias sobre a edição deste ano.

O plano era receber até 20 mil torcedores por dia no complexo de quadras. Mas uma retomada da alta no número de contágios pelo coronavírus na França, registrada nas últimas semanas, forçou o comando do torneio a reduzir significativamente o número de pessoas presentes no local dos jogos.

A quadra principal de Roland Garros, Philippe-Chatrier, agora conta com teto retrátil
A quadra principal de Roland Garros, Philippe-Chatrier, agora conta com teto retrátil - Charles Platiau - 27.mai.20

Na quarta-feira (23), Olivier Véran, ministro da Saúde da França, anunciou que os maiores eventos planejados em diversas regiões da França, entre as quais a região de Paris, estariam limitados a um máximo de 1.000 pessoas, a partir de sábado (26).

Roland Garros, que ainda planejava receber 5.000 espectadores por dia, começa no dia seguinte ao início da regra. Guy Forget, o diretor do torneio, mantinha a esperança de manter a meta de público, já reduzida em outra ocasião, mas recebeu no final do dia a informação do governo francês para que a competição se enquadrasse no plano de 1.000 pessoas por dia.

Além do público em tempos de pandemia, outra atração do Grand Slam será o confronto entre Andy Murray e Stan Wawrinka: um chaveamento que jamais teria acontecido tão cedo em um torneio desse porte quando os dois estavam no auge de suas carreiras, por boa parte da década passada.

Mas Murray, britânico que ocupou o primeiro posto do ranking por algum tempo, caiu para a 111ª posição, depois de duas cirurgias na bacia. Aos 33 anos, ele precisou de um convite especial para participar desta edição incomum do torneio francês, adiada de sua data usual, nos meses de maio e junho, para setembro e outubro, em função da pandemia de coronavírus.

O tenista britânico Andy Murray durante semifinal de Roland Garros contra o suíço Stan Wawrinka, em 2017
O tenista britânico Andy Murray durante semifinal de Roland Garros contra o suíço Stan Wawrinka, em 2017 - Benoit Tessier - 9.jun.2017/Reuters

Wawrinka (17º), que venceu em Roland Garros em 2015, é o cabeça de chave número 16 este ano, mas o sorteio na quinta-feira o colocou mais uma vez em confronto com Murray.

Os dois se enfrentaram pela última vez em Paris, nas semifinais da edição de 2017, quando o suíço bateu o britânico, então o primeiro colocado do ranking, em cinco longos sets.

Murray e Wawrinka treinaram juntos alguns dias atrás na Philippe Chatrier Court, que foi reconstruída desde a última vez que eles se enfrentaram. Agora a quadra de saibro conta com uma cobertura retrátil.

“Foi uma longa jornada de volta à quadra Philippe Chatrier”, escreveu Murray no Instagram. “Três anos e meio desde que enfrentei Stan Wawrinka em uma semifinal brutal, que durou cinco sets e acabou com a minha bacia.”

O tenista suíço Stanislas Wawrinka vibra ao marcar ponto no confronto contra Andy Murray na semi do Roland Garros de 2017
O tenista suíço Stanislas Wawrinka vibra ao marcar ponto no confronto contra Andy Murray na semi do Roland Garros de 2017 - Christophe Simon - 9.jun.2017/AFP

Não será o único confronto de primeira rodada entre campeões de simples de Grand Slam. Dominic Thiem, que entrou para o clube alguns dias atrás ao vencer o US Open, enfrentará Marin Cilic, outro ex-campeão do Grand Slam americano.

Thiem, o cabeça de chave número três, ficou na mesma chave de Rafael Nadal, que detém o recorde de 12 títulos em Roland Garros e jogará contra Egor Gerasimov, o 83º colocado do ranking, na primeira rodada.

Nadal derrotou Thiem nas duas últimas finais do torneio, e os dois e Novak Djokovic, o primeiro colocado do ranking, são considerados favoritos ao título de simples masculino deste ano.

Nadal e Thiem podem estar a caminho de um confronto na semifinal, mas o percurso de Djokovic parece mais fácil. Ele enfrentará Mikael Ymer, da Suécia, na primeira rodada, e tem o número cinco do ranking, Stefanos Tsitsipas, e o quarto colocado, Daniil Medvedev, entre seus potenciais adversários de quartas de final e semifinal. Mas o russo Medvedev, um tenista versátil, conhecido por variar suas táticas, tem um histórico de derrotas no saibro.

No torneio feminino, Serena Williams vai voltar a encontrar a também americana Kristie Ahn na primeira rodada. Ela eliminou Ahn na em sua estreia no último US Open, antes de ser eliminada na semifinal por Victoria Azarenka.

Williams, cabeça de chave número seis, também pode voltar a jogar, na segunda rodada, contra Tsvetana Pironkova, que ela derrotou nas quartas de final em Nova York. Williams e Azarenka, a cabeça de chave número 10, podem voltar a se enfrentar na quarta rodada, enquanto Williams continua a buscar seu 24º título de simples em Grand Slams.

Ela venceu em Roland Garros em 2002, 2013 e 2015, mas abandonou o torneio na quarta rodada em 2018 e perdeu na terceira rodada para a americana Sofia Kenin, em 2019.

Antes do sorteio, Belinda Bencic, 10ª colocada no ranking feminino, anunciou que abandonaria a competição francesa, o que deixa apenas seis das Top 10 do ranking feminino presentes no torneio.

Ashleigh Barty, a líder do ranking, anunciou sua retirada no começo do mês, e a número três, Naomi Osaka, que venceu o US Open recentemente, e a número sete do ranking, Bianca Andreescu, também optaram, por não jogar em Paris.

Seis das dez melhores colocadas do ranking do tênis feminino ficaram de fora do do Grand Slam Americano, disputado no começo do mês.

Como assistir ao Roland Garros

A partir das 6h de domingo, as principais partidas do Grand Slam francês poderão ser acompanhadas pelo canais de TV fechada Bandsports e SporTV3.

No SporTV3, as transmissões começam a partir das 6h.​

Também será possível assistir aos jogos pelo aplicativo do torneio, chamado Roland Garros ao Vivo. Nele, as partidas de todas as chaves (simples, duplas e juvenis), em todas as quadras, estão disponíveis por R$ 39,99.

Tradução de Paulo Migliacci

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.