Edição especial facilita leitura de 'O Pequeno Príncipe' e outros clássicos

Livros infantis trazem facilitadores cognitivos, que auxiliam na compreensão das obras

São Paulo

Nenhuma criança é igual. E, dentro de toda essa diversidade, existem aquelas que, para chegar ao aprendizado pleno, precisam tomar caminhos diferentes.

Na leitura de grandes clássicos, por exemplo, pode ser preciso ajudar os pequenos que têm dificuldades. Mas como?

O Pequeno Príncipe conversa com outro personagem na lua
Ilustração para o livro "O Pequeno Príncipe", da editora FTD Educação, que usa facilitadores cognitivos para auxiliar a compreensão da obra - Marco Lombardini/Divulgação

Esta é a função dos facilitadores cognitivos, estratégias que o mercado editorial usa para proporcionar uma leitura não só mais eficaz, mas também mais prazerosa.

“Os agentes da educação têm estudado maneiras de gerar a verdadeira inclusão na sala de aula, que não é só dar acesso, mas criar materiais para que as crianças tenham a oportunidade de aprender”, diz a doutora em teoria literária Isabel Lopes Coelho, gerente editorial de Projetos Especiais e Literatura/Paradidáticos da FTD Educação.

A editora lança agora a Coleção Clássicos ao Meu Alcance, com cinco títulos adaptados para estudantes com dificuldade de aprendizado ou com algum tipo de deficiência intelectual, como autismo e outros transtornos.

Os livros escolhidos são “O Pequeno Príncipe”, “Peter Pan”, “Alice no País das Maravilhas”, “O Mágico de Oz” e “Pinóquio”. Cada um tem 136 páginas e custa R$ 59.

Os facilitadores envolvem, por exemplo, um resumo no começo de cada capítulo, explicando à criança o que vai acontecer naquele trecho da história.

“Ela já começa o capítulo entendendo”, explica Isabel. “Também há a descrição dos personagens no começo da obra, atividades no final para reforçar a compreensão da narrativa e um glossário de palavras difíceis. Fizemos um grande levantamento para entender quais seriam essas palavras, bem como expressões que não são literais”.

Quadro apresenta facilitadores cognitivos presentes em coleção de livros infantis da FTD Educação
Quadro apresenta facilitadores cognitivos presentes em coleção de livros infantis da FTD Educação - Divulgação

É importante lembrar que a ideia não é fazer um simples resumão das histórias. “Os textos ainda têm um caráter literário, ainda que em uma versão simplificada”, continua.

Adaptados por Carlo Scataglini, professor especialista e formador de métodos de recuperação e apoio na Itália —país de origem da Edições Erickson, parceira da FTD no projeto—, os títulos dão preferência a frases mais curtas, com sujeito, verbo e predicado em ordem direta. Orações subordinadas, assim como pronomes relativos e oblíquos, são evitados.

Quadro apresenta facilitadores cognitivos presentes em coleção de livros infantis da FTD Educação
Quadro apresenta facilitadores cognitivos presentes em coleção de livros infantis da FTD Educação - Divulgação

Ao longo de seis meses, a editora realizou uma pesquisa com famílias, diretores, coordenadores pedagógicos e professores que trabalham com educação inclusiva para mapear a necessidade de materiais específicos para crianças com dificuldades de aprendizado.

A Coleção Clássicos ao Meu Alcance não tem faixa etária específica por se tratar de um material adequado às habilidades do leitor. E, de acordo com a editora, não precisa ficar restrita ao universo escolar. “Os pais podem comprar também para ler em casa com os filhos”, diz Isabel.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.