Descrição de chapéu Cinema

Veneza escala filmes com Brad Pitt e Penélope Cruz produzidos por brasileiro

Longas de Rodrigo Teixeira, 'Ad Astra' e 'Wasp Network', farão parte de festival europeu de cinema

São Paulo

A seleção principal do Festival de Cinema de Veneza, anunciada nesta quinta (25), traz dois filmes produzidos pelo brasileiro Rodrigo Teixeira, da RT Features. 

Protagonizado por Wagner Moura e Penélope Cruz, "Wasp Network" é baseado no livro "Os Últimos Soldados da Guerra Fria". Escrito pelo brasileiro Fernando Morais, narra a história da Rede Vespa, grupo de espiões cubanos que, no início da década de 1990, atuou nos Estados Unidos com o objetivo de se infiltrar em organizações americanas contrárias ao regime de Fidel Castro. O francês Olivier Assayas dirige e assina o roteiro.

Brad Pitt é um astronauta em "Ad Astra", longa dirigido por James Gray, outra produção de Teixeira, que também está na seleção oficial.

Rodrigo Teixeira, que tem no currículo filmes como "Frances Ha" (2012) e "Me Chame Pelo Seu Nome" (2017), incluindo uma indicação ao Oscar, afirma que ambas as produções têm DNA brasileiro. Ele também está por trás de "A Vida Invisível de Eurídice Gusmão", longa de Karim Aïnouz que venceu o prêmio Um Certo Olhar na edição de Cannes deste ano.

“A RT é brasileira e o autor é brasileiro. E o esforço de produção foi todo nosso: o Fernando [Morais] me pediu para pagá-lo para fazer a pesquisa, eu que fui morar em Cuba”, afirma Teixeira. “E o Assayas está apaixonado pelo trabalho do Wagner Moura.”

Apesar de nenhuma das duas produções de Teixeira terem sido financiadas via Fundo Setorial do Audiovisual —enquanto “Wasp Network” é uma coprodução entre Brasil, França e Espanha, “Ad Astra” teve participação de empresas americanas—, ele afirma de que a presença das obras é prova de que “deveríamos olhar com carinho para o audiovisual brasileiro”.

Retrato do produtor Rodrigo Teixeira - Ênio Cesar/Folhapress

Um documentário sobre o cineasta Hector Babenco foi selecionado para a mostra Venice Classics do festival. Dirigido e produzido por Barbara Paz, “Babenco – Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou” marca a estreia da atriz como diretora. Paz é viúva do cineasta, que morreu em 2016, aos 70 anos.

O curta-metragem "A Linha", produzido pela brasileira ARVORE Experiências Imersivas e narrado por Rodrigo Santoro, também estreia na Venice Virtual Reality, mostra dedicada aos filmes em realidade virtual.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.