Funkeiros Iasmin Turbininha e Polyvox são intimados a depor no Rio de Janeiro

Assim como Rennan da Penha, que está preso, ambos são conhecidos pelas músicas em 150 BPM

São Paulo

​Nesta semana, pelo menos dois DJs de funk foram convocados a prestar depoimentos à polícia do Rio de Janeiro. Iasmin Soares dos Santos, a Iasmin Turbininha, e Diogo Lima Costa, o Polyvox, devem se apresentar à 21ª Delegacia Policial do Estado entre os dias 29 e 31.

As intimações, assinadas pelo delegado Flávio Almeida Narcizo, foram emitidas na última terça-feira (23). Nos dois casos, não foram revelados os motivos pelos quais eles estão sendo chamados a depor. Também não ficou claro se eles foram convocados como testemunhas ou se estão sendo acusados de alguma infração.

A produtora carioca Iasmin Turbininha, conhecida pelos funks 150 BPM
A produtora carioca Iasmin Turbininha, conhecida pelos funks 150 BPM - Reprodução/Instagram.com/iasminturbininha
 

O DJ Polyvox ganhou destaque por ter sido o inventor do funk em 150 BPM, ou batidas por minuto, mesma vertente pela qual Turbininha é conhecida. O estilo é nacionalmente conhecido pelas músicas “da Gaiola”, do MC Kevin O Chris.

O DJ Rennan da Penha, precursor do 150 BPM e idealizador do Baile da Gaiola, está preso desde abril. Ele foi condenado a seis anos e oito meses em regime fechado por associação para o tráfico de drogas.

A condenação se sustenta no depoimento de uma testemunha que disse que ele “é conhecido como DJ dos bandidos” e em outra que cita mensagens que Rennan teria trocado, avisando que “o Caveirão está subindo pela rua X”.

Desde que Rennan foi preso, diversos nomes do funk e da música já manifestaram pedidos de liberdade para o DJ.

Em nota, a Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OAB-RJ) repudiou a decisão da Justiça, dizendo que se tratava de uma tentativa de “criminalização da arte popular”.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.